Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Primigesta é admitida em período expulsivo, tendo seu parto sido assistido pelo médico residente de plantão. O médico residente observou que o pólo cefálico do concepto se desprendeu sob a variedade occipitopúbica, realizou o movimento de deflexão e o movimento de restituição ocorreu em direção ao lado direito. Considerando os mecanismos habituais do mecanismo de parto na apresentação cefálica de vértice, o residente pôde concluir que:

A
O feto provavelmente se insinuou com o occipital voltado para a direita, com dorso na posição 2 e restituiu em consequência da rotação interna das espáduas
B
O feto provavelmente se insinuou com o occipital voltado para a esquerda, com dorso na posição 2 e restituiu em consequência da rotação interna das espáduas
C
O feto provavelmente se insinuou com o occipital voltado para a direita, com dorso na posição 1 e restituiu em consequência da rotação interna da cintura pélvica
D
O feto provavelmente se insinuou com o occipital voltado para a direita, com dorso na posição 2 e restituiu em consequência da rotação interna da cintura pélvica
E
O feto provavelmente se insinuou com o occipital voltado para a esquerda, com dorso na posição 1 e restituiu em consequência da rotação interna das espáduas
Assinale a alternativa que completa CORRETAMENTE a frase a seguir. No novo modelo de resposta sexual feminino, atualizado por Rosemary Basson, consta um conceito, não presente nos modelos clínicos (Kaplan) e EPOR (Master e Johnson), denominado:
Lactente, 3 meses de idade, pesando 5 kg, portadora de síndrome de Down (trissomia 21), é atendido no UBS. HMA: a mãe relata que a criança está com falta de ar. Ela conta que o bebê sempre teve falta de ar, principalmente quando mama, mas que piorou há 2 dias. Ela nega febre, tosse, coriza ou outros sintomas. EF: as vias aéreas estão pérvias, mas ela respira com dificuldade, com FR: 66 irpm. As mucosas estão rosadas. Há batimento de aleta nasal, retrações intercostais e subcostais e gemência. A ausculta respiratória revela murmúrio vesicular simétrico com estertores subcrepitantes em todos os campos pulmonares. O ritmo cardíaco é regular, sem sopros, com FC: 168 bpm, PA: 75 x 42 (59) mmHg, pulsos periféricos e centrais amplos, tempo de enchimento capilar de 2 segundos, SaO2 95% em ar ambiente. O fígado palpável a 5 cm do rebordo costal direito na linha hemiclavicular direita. O diagnóstico mais provável é:
Considerando os grandes marcos do desenvolvimento infantil, um lactente saudável de sete a nove meses de vida adquire a capacidade de:
Menino de cinco anos, pardo, natural de Duque de Caxias, Rio de Janeiro, tem história de infecções sinopulmonares de repetição desde o primeiro ano de vida, necessitando frequentemente de antibioticoterapia. No último ano, apresentou quatro episódios de sinusite. Tem irmão de 7 anos, com asma brônquica e infecções respiratórias de repetição. Ao exame físico, encontra-se emagrecido e hipocorado. Peso e altura, respectivamente, nos percentis 10 e 3. Exames laboratoriais mostram: Htc: 30%; Hb: 10,2%; leucócitos totais: 6100; 6% eosinófilos, neutrofilia; 36% linfócitos; lgG: 271 mg/l; lgA: 8 mg/l; lgM: 27 mg/l. A conduta terapêutica adequada para o caso é:
Compartilhar