Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Primigesta é internada em trabalho de parto espontâneo com 4 cm de dilatação cervical. Após 3 horas de evolução, recebeu analgesia com bloqueio combinado raquiperidural, quando apresentava dilatação cervical de 7 cm. Após mais 3 horas, toque vaginal revela fino rebordo de colo uterino no lábio anterior, feto em apresentação cefálica com a sutura sagital alinhada no diâmetro ânteroposterior do estreito inferior, no plano +3 de De Lee, com batimentos cardíacos fetais basais de 105 bpm, chegando a 68 bpm em cada contração, com saída espontânea de líquido meconial espesso. No momento, a frequência de contrações espontâneas é 5 por minuto. Conduta indicada:

A
Administrar terbutalina subcutânea para diminuir a frequência de contrações uterinas, permitindo a reoxigenação fetal adequada entre as contrações, e aguardar a expulsão fetal espontânea.
B
Realizar cesárea de emergência, por laparotomia mediana, que possibilitará a extração fetal em poucos minutos.
C
Extração fetal imediata utilizando fórcipe para abreviação do período expulsivo.
D
Hidratação materna vigorosa e rápida com soro fisiológico, por acesso venoso calibroso, para inibir a produção hipofisária de ocitocina e assim adequar as contrações uterinas à vitalidade fetal.
E
Utilizar soro com ocitocina para aumentar a contratilidade uterina e acelerar o nascimento espontâneo; simultaneamente, melhorar a reserva fetal administrando-se oxigênio em máscara a 12 litros por minuto.
Menina de quatro anos de idade é atendida no setor de emergência com quadro de tosse seca, febre alta intermitente há três dias, diminuição do apetite, dor abdominal e perda de peso. Ao exame apresenta Temperatura axilar de 38,7°C, Frequência Respiratória de 48irpm/min, retração intercostal, Murmúrio vesicular diminuído à direita com presença de estertores crepitantes e ausência de sibilos. Laboratório: leucograma com 22.000 leucócitos com desvio para a esquerda e Raios-X de tórax com condensação em lobo superior direito. O agente etiológico mais provavelmente relacionado ao quadro seria:
Paciente de 32 anos apresenta gengivorragia ao escovar os dentes, bolhas hemorrágicas em cavidade oral e equimoses em membros inferiores há três dias. Está corada, afebril e não apresenta hepatoesplenomegalia. O hemograma revela Hcto 38%; Hb 13,5 g/dl; leucócitos 9.500/mm³ com 1% basófilos, 4% eosinófilos, 5% bastões, 70% segmentados, 16% linfócitos e 4% monócitos, plaquetas 18.000/mm³, TAP = 14 segundos com 85% de atividade, PTT = 37 segundos, a partir de sua hipótese. Em relação ao caso clínico, a partir de sua hipótese, a melhor conduta é:
Paciente de 35 anos, dá entrada na Emergência, vítima de queimadura em 40% da área corporal. Em relação à área queimada a conduta mais adequada no primeiro atendimento é:
O pulso paradoxal, dispnéia, distensão venoso jugular e bulhas cardíacas abafadas é a descrição do exame físico de: Referência: GOLDMAN, L.; AUSIELLO, D. - CECIL Tratado de Medicina Interna Vol. I e II. 22ª edição - Editora Elsevier, 2005.
Compartilhar