Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Primigesta, na 32ª semana de gestação apresenta pressão arterial de 140 / 90 mmHg associada à cefaleia persistente, alteração da visão e dor no hipocôndrio direito. Exames laboratoriais revelaram: plaquetas = 93.000/mm3, bilirrubina sérica total = 1,3 mg%, desidrogenase lática = 1870UI/L, proteinúria = 440 mg/24 horas. O diagnóstico é

A
hipertensão gestacional e iminência de eclâmpsia.
B
eclâmpsia e síndrome HELLP.
C
hipertensão gestacional e síndrome HELLP.
D
iminência de eclâmpsia e síndrome HELLP.
E
hipertensão gestacional e eclâmpsia.
Um lactente de 1 ano e 6 meses chega ao pronto-socorro com quadro de arritmia cardíaca. O médico da emergência decide aplicar uma bolsa de gelo sobre a face do bebê tentando induzir uma manobra vagal. A arritmia que este paciente provavelmente apresenta:
Paciente, 55 anos, refere sangramento anal, principalmente misturado às fezes há três meses. Apresenta também episódios de diarreia e cólica abdominal difusa. Nega história familiar de câncer intestinal. Ao exame físico, o abdome está normal. Anuscopia apresenta hemorroidas internas grau II e externas. O toque retal está normal. Considerando o quadro descrito, a conduta mais adequada é:
Com relação às patologias do colo-reto e ânus, pode-se dizer que:
Paciente feminina 47 anos, com queixas de dor em região epigástrica de moderada intensidade piorando com ingestão de alguns alimentos, refere que o pai faleceu com câncer gástrico, ao exame físico presença de dor a palpação somente em região epigástrica. HDA realizada a três dias com o seguinte diagnóstico-esofagite erosiva; estômago e duodeno normais e H. Pylory positivo, frente este caso qual a melhor conduta:
Compartilhar