Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Primigesta, na 32ª semana de gestação apresenta pressão arterial de 140 / 90 mmHg associada à cefaleia persistente, alteração da visão e dor no hipocôndrio direito. Exames laboratoriais revelaram: plaquetas = 93.000/mm3, bilirrubina sérica total = 1,3 mg%, desidrogenase lática = 1870UI/L, proteinúria = 440 mg/24 horas. O diagnóstico é

A
hipertensão gestacional e iminência de eclâmpsia.
B
eclâmpsia e síndrome HELLP.
C
hipertensão gestacional e síndrome HELLP.
D
iminência de eclâmpsia e síndrome HELLP.
E
hipertensão gestacional e eclâmpsia.
Paciente feminina relata ter doença celíaca e sintomas de adinamia associada à palidez. Realizou exames laboratoriais demonstrando hemograma com Hb de 5 g/dl (normal: 13.5–17.5 g/dl) e VCM de 120 fl (normal: 80 a 100 fl). O leucograma demonstrava neutrófilos de 1.0 10³ cel/µl (normal: 4.5 a 11.0 x 10³ cel/µl), plaquetas de 50.000/µl (normal: 150 a 450 x 10³ µ/l) e contagem normal de reticulócitos. A dosagem sérica de vitamina B12 era de 250 pg/ml (normal: 200 a 835 pg/ml) e a de folato era de 6 ng/ml (normal: 3 a 16 ng/ml). Realizou dosagem sérica de ácido metilmalônico e de homocisteína, segundo a qual ambos estavam elevados. Assinale a alternativa que expressa o diagnóstico hematológico dessa paciente.
Na citologia de vagina o predomínio de células basais é encontrado na mulher:
Mulher de 25 anos, em consulta num posto de saúde, apresenta há 1 ano episódios frequentes de cefaleia hemicraniana esquerda de forte intensidade, com duração de até 24 horas. As crises ocorrem 4 a 5 vezes por mês, são acompanhadas de náusea, pioram em ambientes barulhentos e não respondem ao uso de paracetamol. O médico que a examinou prescreveu dois medicamentos: o primeiro, de uso diário, para prevenir as crises de cefaleia e o segundo, para ser usado somente quando houver dor. Dentre os abaixo, os medicamentos adequados são, respectivamente:
LHSV, 31 anos, masculino, pardo. Queixava-se a um mês de edema progressivo nos membros inferiores, associado à dor e limitação funcional. Vem fazendo uso de anti-inflamatório e diurético, porém evoluindo com intensificação do quadro álgico e comprometimento também de membros superiores, chegando a ter que retirar a aliança. Procurou Serviço de Urgência, sendo examinado: paciente lúcido, orientado no tempo e no espaço, normocorado e hidratado Tax: 37ºC; PA: 135x85 mmHg, Pulso radial: 92 bpm; Ausculta cardíaca e pulmonar sem alterações; exame do Abdome sem alterações. Infiltração cutânea na face e pavilhões auriculares (E>D); madarose. Edema (2+/4) com discreto eritema nos antebraços; edema/eritema nos dedos das mãos, com dor à palpação e mobilização ativa e passiva, nervos cubitais espessados (D>E), dolorosos à palpação. Edema depressível nas pernas e pés; nódulos e pápulas (de 3 a 1 cm), recobertos por pele normal, nas pernas. Hipoestesia nos antebraços e mãos e anestesia nas pernas. A etiologia do quadro neurológico deve ser:
Compartilhar