Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Dermatologia

Quais as evoluções possíveis do complexo primário pulmonar da Paracoccidiodomicose?

A
A calcificação do foco parenquimatoso pulmonar é evidenciável radiologicamente de rotina, como na tuberculose.
B
Disseminação por contiguidade com a instalação de focos metastáticos.
C
O gânglio hilar não toma parte na possível re-infecção endógena.
D
Re-infecção endógena é o que explica o aparecimento da doença em residentes nos países não endêmicos.
E
Glândula adrenal e parede intestinal não são focos de possível re-infecção endógena.
São considerados fatores de risco para osteoporose:
A população alvo para receber a vacina antirrubéola na Campanha de Vacinação 2008 “Brasil Livre da Rubéola”, conduzida pelo Ministério da Saúde no segundo semestre de 2008, foi constituída por:
Homem, 65 anos, refere dor e desconforto na região inguinal direta, que se acentua aos esforços. Ao exame, palpa-se massa de cerca de 3 cm, indolor, consistência elástica, móvel ao exame e, conforme a variação da pressão abdominal faz protrusão na parede. Em relação a esta situação, são apresentadas as assertivas a seguir. I. Trata-se de hérnia direta por persistência do conduto peritônio-vaginal. II. O risco de encarceramento é maior já que se trata de hérnia direta. III. Trata-se de hérnia direta medial aos vasos epigástricos inferiores. Qual é a alternativa correta?
Criança de 9 anos de idade, com quadro respiratório de evolução insidiosa há 3 semanas, iniciando com tosse inicialmente seca, coriza, odinofagia e febre baixa sem comprometimento do estado geral. Tratada com sintomáticos, não melhorou, evoluindo com tosse produtiva, característica coqueluchoide, dor torácica esporádica, febre moderada, queda do estado geral, FR = 36 rpm. A ausculta pulmonar apresenta MV rude, sibilos creptações. Mãe relata que já está usando amoxilina há 3 dias. Qual o provável agente etiológico nesse caso e qual a droga de escolha?
Compartilhar