Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Dermatologia

Qual a melhor conduta para um caso de hanseníase dimorfa, baciloscopia 2+, com reação tipo I?

A
introduzir talidomida na dose de 100 a 400 mg ao dia.
B
iniciar tratamento específico para hanseníase somente após a melhora do edema das lesões, obtida com corticoide.
C
iniciar com pentoxifilina 400 mg ao dia. Suspender dose autoadministrada e manter a dose supervisionada até o controle total da reação.
D
iniciar tratamento específico juntamente corticoterapia sistêmica.
E
iniciar imediatamente tratamento específico da hanseníase. Após 6 meses do início do tratamento, introduzir talidomida e prednisona.
Na síndrome compartimental addominal assinale o item errado:
São exemplos de técnicas de reparo de hérnia inguinal com tensão:
Varizes esofagianas são dilatações das veias da submucosa esofágica e, quando rotas, causam hemorragias digestivas muito graves. Neste contexto, analise as informações a seguir e assinale a correta.
Paciente com 28 anos queixa-se de náuseas, vômitos, fraqueza e mialgia que iniciaram há 10 dias, com febre até 39ºC aferida. Há 2 dias, passou a apresentar icterícia, colúria e acolia e queixa de dor no hipocôndrio direito, contínua, com sensação de peso. Nega uso de álcool de forma abusiva, informação confirmada pela esposa presente à consulta. Nega uso de medicações, chás ou ervas, com exceção do uso recente de paracetamol 1 g/24h para dor e febre. Ao exame físico, apresenta icterícia intensa, dor à palpação de hipocôndrio direito e hepatimetria de 16 cm. Os exames complementares demonstram: ALT: 2.352 UI/ml; AST: 1.839 UI/ml; BT: 24 mg/dl; BD: 19,7 mg/dl; RNI: 1,2. Sorologias demonstram HBsAG positivo; anti-HBc IgM positivo; HBeAG positivo; anti-HBe negativo; anti-HBs negativo; anti-HAV total positivo; anti-HCV negativo; FAN negativo; anticorpo antimúsculo liso 1:80. Qual o diagnóstico desta situação clínica?
Compartilhar