Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Hepatologia

Qual dos fatores abaixo está mais comumente associado à pancreatite aguda?

A
Trauma.
B
Hiperlipidemia.
C
Hipercalcemia.
D
Fibrose cística.
E
Cálculo biliar.
Paciente masculino de 35 anos admitido no PS, deambulando com dificuldade, confuso, sem familiares para relatar sobre medicações, drogas ilícitas e doenças prévias. Na avaliação inicial apresentou Glasgow 13, LCR normal, RX de tórax e tomografia de abdome sem alterações. Sem lesões em pele e sem sinais de emagrecimento. PA 140/80 mmHg, FC 135 bpm, temp. 40,5ºC, FR 20 ipm. Hemograma e PCR normais. Dentre as possíveis causas desse quadro, NÃO é compatível com a clínica do paciente:
Assinale (V) para alternativas VERDADEIRAS e (F) para as FALSAS: ( ) Uma gestante HIV positivo, linfócitos TCD4 + de 180 cel/mm³, que faz todas as orientações propostas e chega ao final da gestação com Carga Viral para HIV indetectável, está liberada para amamentar seu bebê. ( ) Um paciente HIV positivo em seu primeiro esquema de tratamento com antiretrovirais, assintomático, pode ser recomendado a fazer suspensões temporárias dos antirretrovirais, não implicando na eficácia do tratamento a longo prazo. ( ) Um paciente HIV positivo assintomático com TCD4+ = 500 células/mm³ e carga viral = 250.000 cópias/ml enquadra-se nos critérios de início de terapia com antirretrovirais conforme consenso brasileiro atual. ( ) Um paciente HIV positivo assintomático, com TCD4+ = 300 células/mm³ e carga viral = 50.000 cópias/ml enquadra-se nos critérios de início de terapia com antirretrovirais conforme consenso brasileiro atual. ( ) Um paciente HIV positivo, com cândida esofágica grave, TCD4+ = 190 células/mm³ e carga viral = 5.300 cópias/ml, enquadra-se nos critérios de início de terapia com antirretrovirais conforme consenso brasileiro atual. A sequência CORRETA está na alternativa:
No que diz respeito à sistematização da reanimação neonatal, julgue os seguintes itens de acordo com as normas do Programa de Reanimação Neonatal da Sociedade Brasileira de Pediatria. I- Toda criança que nascer sem respirar deve ser considerada em apneia primária e receber oxigênio inalatório como medida terapêutica. II- As medidas iniciais são: prover calor e posicionar o recém-nascido em decúbito dorsal sob leve declive e estender levemente o pescoço. Depois, aspirar vias aéreas, se necessário. III- Todo recém-nascido que nascer em apneia e envolto em líquido meconial deve ser imediatamente aspirado por meio de tubo orotraqueal. IV- Considerando que uma criança, ao nascer, respire regularmente, apresente frequência cardíaca de 140 bpm e tenha cianose de extremidades nos primeiros 20 segundos de vida, o médico deverá administrar oxigênio a 100% por via inalatória até desaparecer a cianose. V- A ventilação com balão autoinflável, máscara e oxigênio a 100%, se usada adequadamente, consegue resolver menos da metade dos casos em que é necessário reanimar um neonato na sala de parto. A quantidade de itens certos é igual a:
Desde a década passada, a Atenção Integral às Doenças Prevalentes da Infância (AIDPI) revelou-se uma estratégia adequada à disposição dos médicos, com um conjunto básico de intervenções baseadas em evidências científicas que permitem prevenir e tratar eficazmente as principais doenças e problemas que afetam a saúde nos primeiros anos de vida. Acerca dessas evidências, julgue o item. O caso de uma criança que se queixa de dor no ouvido e que, na observação, apresenta secreção purulenta no ouvido e tumefação dolorosa ao toque atrás da orelha deve ser classificado como mastoidite.
Compartilhar