Questões na prática

Clínica Médica

Cirurgia

Cardiologia

Qual é a arritmia mais frequente nos quadros pós-operatórios:

A
Fibrilação atrial
B
Taquicardia ventricular
C
Extrassístole ventricular
D
Fibrilação ventricular
E
N.r.a
Paciente de 25 anos procurou atendimento com médico com náuseas, vômitos, icterícia, dor abdominal em hipocôndrio D e febre de instalação há cinco dias. Durante esse período fez uso de paracetamol e vários anti-inflamatórios para alívio da febre. Os exames laboratoriais mostram: HBsAg negativo, Anti-HbC IgM negativo, Anti-HbC IgG positivo, Anti-Hbs positivo, anti-HVA IgG positivo, TGP 500 U/L (limite superior da normalidade: 40 U/L), TGO 346 U/L (limite superior da normalidade: 36 U/L). O ultrassom abdominal é compatível com hepatomegalia. Qual o diagnóstico mais provável?
Paciente masculino, 18 anos, morador de bairro sem saneamento básico na periferia de grande cidade brasileira. Histórico de quadro progressivo de febre irregular (39ºC) com mal-estar, cefaleia, mialgia, anorexia, tosse, náuseas e vômitos, com piora a partir da segunda semana com intensificação da febre, prostração, delirium, apatia, dor abdominal difusa, diarreia. Apresentou também pápulas rosadas, cerca 3 mm cada, que desapareciam ao toque, localizadas no tronco. Encaminhado para emergência após ter iniciado quadro de enterorragia, dor abdominal difusa com peritonismo, tendo sido diagnosticada perfuração intestinal. O caso acima descrito é sugestivo de:
A peritonite denota uma inflamação peritoneal por vários motivos. A peritonite bacteriana primária ou espontânea pode ocorrer sob a forma de infecção bacteriana difusa sem uma fonte intra-abdominal óbvia de contaminação. São os agentes mais comuns em crianças e adultos, respectivamente:
Qual a interpretação para uma criança que apresenta o seguinte padrão sorológico para hepatite B: HBsAg negativo; HBeAg negativo; anti-HBcIgM negativo; anti-HBe negativo e anti-HBs positivo?
Compartilhar