Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Qual é o tumor mais comum do pâncreas e a sua localização mais frequente?

A
Insulinoma, no corpo do pâncreas.
B
Gastrinoma, na cabeça do pâncreas.
C
Adenocarcinoma, na cabeça do pâncreas.
D
Adenoma, no corpo do pâncreas.
E
Adenoma, na cauda do pâncreas.
Homem de 78 anos de idade em consulta de avaliação pré-operatória para estratificação do risco de complicações cardiológicas, referentes a uma cirurgia de retirada de um carcinoma espinocelular de face, com anestesia local. É portador de insuficiência cardíaca compensada e diabetes, também compensado. Ao exame clínico: íctus desviado para esquerda, sem outras alterações. O eletrocardiograma mostra alterações difusas da repolarização ventricular, a radiografia de tórax e os exames laboratoriais estão todos normais. Neste momento a conduta adequada é:
João, 58 anos, natural de Minas Gerais, hipertenso há 20 anos, chega à Emergência com dor abdominal aguda seguida por distensão e vômitos fecaloides, há 24 horas. História de cirurgia para apendicite aguda há 24 horas e doença diverticular. Exame físico: T.ax 36,5°C, PA 90 x 60 mmHg, FC 108 bpm, FR 28 irpm. Exames laboratoriais iniciais: hematócrito 45%, leucócitos 10.000/mm3, creatinina 1,6 mg/dL, ureia 78 mg/dL, K 4,9 mEq/l, Na 140 mEq/l. A conduta, após estabilização hemodinâmica, é:
Lígia, 22 anos, é atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Maré com dor pélvica súbita e crescente e febre de 37,5°C. Última menstruação há 25 dias e vida sexual inativa há 2 meses. Traz ultrassonografia abdominal recente que mostra tumor anexial de 12cm de diâmetro, cístico e baixa perfusão à dopplerfluxometria. O diagnóstico provável é:
Carolina, 75 anos, obesa, mora em casa geriátrica. É trazida à Emergência por sua filha com diarreia e letargia. Estava bem até quatro dias quando iniciou diarreia líquida, que não melhorou com loperamida e evoluiu com sangue em 24 horas. Duas senhoras da casa geriátrica apresentaram quadro semelhante. Nega uso de medicamentos. Exame físico: sonolenta, desidratada e somente identifica a filha, hipocorada ( 3+/4), ictérica (+/4), fraqueza nos membros. Abdome depressível e doloroso difusamente, com peristalse aumentada. O exame neurológico não mostra alterações focais. Exames laboratoriais hematócrito 25%; plaquetas 67.000/mm³; glicose 700 mg/dl; ureia 60 mg/dl I, creatinina 3,5 mg/dl I, K+ 4,0 mEq/L, Na 128 mEq/I, bilirrubinas totais 3mg/dl, bilirrubina indireta 2.0 mg/dl. Exame de fezes: sangue e leucócitos. O distúrbio hidroeletrolítico e metabólico deve ser corrigido com:
Compartilhar