Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Quanto à presença de anemia materna durante o ciclo gravídico-puerperal, é CORRETO afirmar que:

A
o grau de intensidade da anemia ferropriva materna altera substancialmente a quantidade de ferro transportada para a produção da hemoglobina fetal
B
a gestação pode complicar o curso da anemia falciforme, com maior chance de abortamentos e perdas fetais tardias
C
a anemia megaloblástica por deficiência de vitamina B12 é um evento comum durante a gestação e apresenta um quadro clínico indistinguível da anemia por deficiência de folatos, a não ser pelas manifestações neurológicas que são características desta última
D
A anemia aplástica apresenta maior gravidade na gestação e requer confirmação através de aspirado da medula óssea, caracteristicamente hipercelular
Um paciente de 72 anos, após sofrer queda, no banheiro, com o hemitórax direito sobre o vaso sanitário, dá entrada no PS de um hospital, com muita dor e moderada dificuldade respiratória, principalmente na inspiração. Informa ser tabagista, portador de DPOC e HPB. A radiografia de tórax evidencia fraturas de quatro arcos costais direitos (do 4º ao 7º), sem sinais radiológicos de contusão pulmonar, pneumotórax ou hemotórax. A conduta terapêutica mais adequada para ser adotada nesse caso é
Uma criança de quatro anos de idade, sexo masculino, é encaminhada ao ambulatório, pois a professora notou discreto desvio do olho direito há 30 dias. Nascido de parto prematuro, com 35 semanas, peso: 2.730 g, estatura: 46,5 cm, Apgar: 9/9, permaneceu por seis horas em CPAP nasal e 12 horas no capacete de oxigênio, devido a desconforto respiratório leve. Recebeu alta hospitalar com três dias. A mãe nega infecções durante a gravidez. Exame físico: estrabismo com esotropia à direita e reflexo pupilar esbranquiçado. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Pré-escolar de cinco anos é levado a atendimento médico com história de cefaleia, vômitos e alteração do comportamento, caracterizada por irritabilidade e hiperatividade, há dois meses. Exame físico: paciente pouco cooperativo, hiperpneico, FC: 60 bpm, PA: 130X90 mmHg. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Mulher de 63 anos com quadro de melancolia, crises de ansiedade, choro fácil, perda do interesse pelas atividades do dia-a-dia e insônia terminal há dois meses, vai ao consultório médico referindo perda de apetite e dores musculares difusas. Seu exame físico é normal. Ela relata que, há 40 dias, faz uso de bromazepan 3 mg à noite. A melhor opção de tratamento para essa paciente é:
Compartilhar