Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Quanto aos critérios clínicos empregados para definição de sepse, relacionados aos achados clínicos e de laboratório, pode-se dizer que:

A
têm alta sensibildade, portanto permitem diagnosticar a presença da condição
B
têm baixa sensibilidade, o que não permite afastar a sepse instalada
C
têm elevada acurácia quanto à gravidade da sepse
D
são muito específicos, portanto permitem diagnosticar a presença da sepse
E
têm alta sensibilidade, portanto permitem afastar a sepse quando ausentes
A Academia Americana de Pediatria publicou, em 2011, uma diretriz sobre convulsão febril simples na infância. Considera que pacientes de seis meses a seis anos sejam avaliados nas primeiras 12 horas após a crise convulsiva. A crise não pode ser prolongada, focal e/ou recorrente. Não é válida para aqueles com quadros neurológicos prévios, anormalidades conhecidas do sistema nervoso central ou história de convulsões afebris. Assim, nessas crianças, com convulsão febril simples:
A infecção pelo herpes vírus humano tipo 6 (HHV-6) causa uma das doenças exantemáticas em pediatria. Nessa infecção,
Mulher de 33 anos, secretária de uma empresa, com história familiar de câncer de reto, veio à consulta com queixa de dor severa em ardência às evacuações com duração aproximada de 3 meses, acompanhada de sangramento anal "vivo", mas discreto, percebido no papel higiênico. Relatou haver, eventualmente, secreção mucosa na roupa íntima e períodos de constipação. Ao exame físico, identificou-se área de ulceração anal linear, em linha média posterior, acompanhada de uma saliente protuberância externa de pele. Ao toque retal, que foi doloroso, constatou-se uma lesão de consistência firme em linha média posterior, localizada na altura da linha pectínea, medindo cerca de 8 mm. Em relação ao quadro clínico, assinale a assertiva CORRETA:
Na radiografia abdominal simples do recém-nascido, a imagem de dupla bolha gasosa sugere o diagnóstico de:
Compartilhar