Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Queixando-se de mal-estar, febrícula e odinofagia, um agente postal de 46 anos adentrou a UPA do bairro. Disse ser alérgico à penicilina e, perante sinais claros de faringite aguda, o internista prescreveu azitromicina em dose diária única por via oral. Nesse ínterim, ficou sabendo que o enfermo tinha rins policísticos e que sua função renal estava diminuída com Clcr = 50 ml/minuto. Diante dos novos informes, ele decerto optou por:

Paciente diabético apresenta febre, dor abdominal no hipocôndrio direito, evoluindo com endoftalmia endógena. Nesse caso, a principal hipótese é de:
Mulher, 66 anos, sabidamente diabética tipo 2 há mais de 10 anos, sem controle satisfatório, hipertensa em uso irregular de anti-hipertensivos, tabagista 30 anos/maço, assintomática, comparece à consulta para avaliação clínica de rotina. Ao exame físico, IMC: 40 kg/m², PA: 212x114 mmHG, FC: 99 bpm. Ausculta cardíaca: Bulhas cardíacas sem sopros. Ausculta respiratória: MV presente sem RA. Abdome e extremidades sem alterações. O eletrocardiograma revela hipertrofia ventricular esquerda. Nesse caso, quais as metas preconizadas para glicemia de jejum, HDL, LDL, triglicérides e PA?
Paciente submetida a gastrectomia a DII devido adenocarcinoma gástrico evoluiu no pós-operatório com trombose venosa profunda de membro inferior esquerdo. No tocante ao uso de medicação anticoagulante (cumarínico), em que nível se deve manter o INR para garantir uma boa anticoagulação?
A hérnia de Spiegel:
Compartilhar