Questões na prática

Preventiva

Recém-formada em medicina, uma jovem de 23 anos tinha, enfim, em mãos o sonhado carimbo com o número de registro no CREMERJ. Não se passou uma semana e a tia, com hérnia de disco lombar, pediu-lhe ampolas de morfina. Bem esclarecida, ela explicou que ainda não dispunha do receituário especial necessário à prescrição de drogas entorpecentes, emitido pela Vigilância Sanitária e que, além de numerado, é de cor:

Pais de menina de 24 meses informam que a filha fala apenas 5 a 10 palavras juntas, apesar de lhe ensinarem com frequência. Brinca sozinha, ainda que na presença de outras crianças. Em relação ao caso, são apresentadas as assertivas a seguir: I. Falar 2 ou 3 palavras juntas, aceitar outras crianças, mas brincar isoladamente são marcos esperados nesta idade; II. O teste Denver II não pode ser aqui utilizado, pois é programado para crianças de até 12 meses; III. A conduta correta é iniciar investigação neuropsicológica para estimular o desenvolvimento precoce da menina. Qual a alternativa correta?
Primigesta, após 4 consultas de pré-natal sem intercorrências, chegou à maternidade com dilatação total. O parto ocorreu de imediato e nasceu uma criança pesando 1.430 g, com pele fina e lisa, com capurro somático de 32 semanas. Após a recepção, a criança encontrava-se corada, com algumas retrações intercostais e frequência respiratória de 70 irpm. Suspeitou-se de membrana hialina, cujo principal diagnóstico diferencial é:
Homem de 52 anos, desempregado, etilista pesado queixando-se de lombalgia, febre vespertina, anorexia e perda de peso. Ao exame, encontra-se apenas emagrecido. US abdominal revelou calcificações esparsas no parênquima renal direito e o sumário de urina evidencia hematúria microscópica, piúria microscópica e ausência de bactérias. Qual a PRINCIPAL hipótese diagnóstica para o caso?
Homem de 75 anos, portador de demência por doença de Alzheimer há seis anos, é levado ao consultório médico por apresentar choro incontido, agitação psicomotora, confusão mental, alteração do ciclo sono-vigília, desorientação temporal e hiporexia há uma semana. O paciente faz uso apenas do ginkgo biloba, 80 mg ao dia. Ao exame físico, apresentava-se vígil e inquieto, desatento, com discurso sem nexo, desidratato ++/4, normotenso e eupneico, sem outras alterações. Em relação a este caso, pode-se afirmar que:
Compartilhar