Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Recém-nascido a termo, peso de nascimento 2680 g, escore de Apgar de 1º e 5º minutos de 9 e 10, respectivamente. Permaneceu em alojamento conjunto, não apresentou intercorrências clínicas e recebeu alta com 48 horas de vida, pesando 2400 g. A mãe, primigesta, procurou o pronto-socorro dois dias após a alta, referindo que o bebê chora excessivamente. Ao exame, o recém-nascido apresentava-se choroso, ictérico em face, tronco e raiz de membros, mucosas semiúmidas, pesando 2320 g. A hipótese diagnóstica mais provável é:

A
icterícia do leite materno
B
icterícia da amamentação (ou relacionada ao aleitamento materno)
C
icterícia por isoimunização Rh
D
icterícia por deficiência congênita de glucuronil transferase
E
atresia de vias biliares
Menino de 1 ano que sofrera uma queda em andador foi trazido à emergência. A mãe relatou não ter havido perda de consciência, mas logo após o acidente ocorreram vários episódios de vômito e sonolência intercalados com quadro de agitação. À admissão, a criança encontrava-se em Glasgow 13, com pupilas isocóricas e fotorreagentes e com hematoma frontal. Não apresentava sinais de outros traumas associados nem deficit motor focal. Qual a conduta inicial mais adequada?
Trabalhadores de um frigorífico de bovinos, que utilizam força no manuseio de facões e mantêm os braços elevados acima do nível dos ombros, têm procurado o serviço médico por dores osteomusculares. O trabalho é executado em pé e a jornada diária atinge até 10 horas. Queixam-se comumente de dor intermitente na região dos ombros que piora com a elevação dos braços e dificuldades na abdução, na rotação externa e na manutenção dos braços elevados. O quadro clínico mais provável é:
“Tontura é um sintoma comum e muitas vezes aflitivo. Os pacientes usam o termo para descrever vários sintomas, inclusive os que parecem apropriados em termos semânticos (p. ex.: "cabeça leve", desmaio, sensação de rodopio, aturdimento) e outros enganosamente impróprios, como confusão mental, visão turva, cefaleia e formigamento. Além disso, alguns indivíduos com distúrbios da marcha causados por neuropatia periférica, mielopatia, espasticidade, parkinsonismo ou ataxia cerebelar queixam-se de "tontura", apesar de não haver vertigem ou outra sensação cefálica anormal. (...) Assim, anamnese detalhada é essencial para determinar exatamente que o que o paciente sente quando afirma: "Doutor, estou tonto". (...) Em termos práticos, ao fim da anamnese, a tontura pode ser classificada em três categorias: (1) desmaio, (2) vertigem e (3) outras sensações cefálicas. Enquanto médicos, nos deparamos com frequência com pacientes com queixa de “tontura” e, de nosso cuidado na coleta da história e no exame, dependem o adequado delineamento que daremos ao caso. Sobre o tema VERTIGEM, são feitas abaixo algumas afirmações. Assinale dentre elas apenas a INCORRETA:
Em uma unidade de atenção básica, chega para ser atendida uma paciente, de 43 anos, casada, que trabalha como balconista no comércio local. Na consulta, ao exame, apresenta: frequência cardíaca de 120 bpm, PA = 140 x 100 mmHg, ausculta cardíaca: ritmo regular, 2 tempos, sem sopro e sem desdobramentos. Queixa-se de poliúria no período dos sintomas e insônia nos últimos dois meses. Relata que é o quarto episódio no ano e que acontece quando tem problemas para resolver no trabalho. O diagnóstico mais provável é:
Compartilhar