Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Pediatria

Neonatologia

Recém-nascido do sexo feminino com idade gestacional de 38 1/2 semanas, peso de nascimento de 2800 gramas, nasceu de parto cesariano devido a polidrâmnio, Apgar 7 e 10, não foi possível passagem da sonda gástrica durante o atendimento na sala de parto. Iniciou com taquipneia e saída oral de secreção salivar “espumosa”. Foi submetida à radiografia simples de abdome, que evidenciou bolsão esofágico dilatado e presença de ar no abdome. Qual o diagnóstico etiológico mais provável?

A
Atresia de esôfago sem fístula.
B
Atresia de esôfago com fístula traqueoesofágica proximal.
C
Atresia de esôfago com fístula traqueoesofágica distal.
D
Atresia de esôfago com fístulas proximal e distal.
E
Fístula traqueoesofágica sem atresia (fístula em H).
Escolar, oito anos, comparece ao consultório com a mãe, preocupada com a doença do filho. Ela traz vários exames já realizados e solicita o parecer do médico. Ao exame clínico, a criança apresenta palidez cutâneo-mucosa, manchas café-com-leite, baixa estatura e ausência dos polegares. No hemograma, o VCM está alto e a eletroforese de hemoglobina revela níveis aumentados de hemoglobina F. O diagnóstico provável é:
No recém-nascido exposto ao HIV, caso a criança possua 2(duas) cargas virais indetectáveis, de acordo com o Ministério da Saúde, o próximo procedimento seria:
Neonato saudável, 17 dias de vida, inicia quadro de vômitos em jato, sem bile, evoluindo com perda ponderal acentuada e desidratação. Chegando à Emergência recebeu hidratação venosa de expansão para correção da desidratação. Considerando a hipótese diagnóstica mais provável, a avaliação dos eletrólitos e gases sanguíneos mostraram:
Olga tem 62 anos e compareceu ao ambulatório com queixas de ardência vulvar e odor fétido vaginal. Foi, diagnosticada como sendo portadora de vaginose bacteriana. Você esclarece Olga de que, nessa idade, devido à condição hormonal as mulheres têm uma maior tendência a apresentar este quadro por causa de:
Compartilhar