Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Recém-nascido é levado à consulta médica com dez dias de vida por apresentar icterícia. Mãe refere que fez pré-natal, parto normal, hospitalar, alta conjunta 60 horas após o parto. O peso do nascimento foi 3020g e a idade gestacional de 39 semanas. Na alta recebeu orientações, inclusive sobre icterícia, pois a criança encontrava-se ictérica zona II. Desde o nascimento criança foi mantida em aleitamento materno exclusivo. Durante a consulta médica foi constatado que o RN apresentava icterícia zona II, sem qualquer outra alteração clínica, e o peso no momento era 3060g. A melhor conduta é:

A
Tranquilizar a mãe, pois deve se tratar de icterícia fisiológica.
B
Suspender o aleitamento materno, pois deve ser causada pelo leite materno.
C
Complementar a alimentação com fórmula, pois deve ser por baixa ingestão calórica.
D
Investigação laboratorial e acompanhamento clínico.
Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). O exame adequado para confirmar TVP é:
Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). No puerpério imediato, a trombose venosa profunda (TVP) de Heloísa se agrava por ter permanecido muito tempo acamada apesar das recomendações médicas para a deambulação precoce. O sinal que indica gravidade da TVP é:
Dorival, 68 anos, em pré-operatório de carcinoma bem diferenciado localizado no colo esquerdo. História de colonoscopia há dez anos, com remoção de pólipo de 1 cm de diâmetro. Seu irmão mais velho foi operado de câncer no colo aos 80 anos. Tem história prévia de trombose venosa profunda femoropoplítea direita há 10 anos após fratura de ossos de perna e imobilização com aparelho gessado. O ecodoppler venoso recente mostra total recanalização do sistema venoso profundo direito, com discreto refluxo na veia femoral superficial. A antibioticoprofilaxia neste caso deve ser feita com:
Milton, 1 mês e 25 dias de idade, apresenta, há 24 horas, leve coriza hialina, tosse discreta, fezes líquidas amareladas (cerca de sete evacuações), febre alta que cede com paracetamol e reaparece algumas horas depois. Hoje teve várias “crises” de choro forte e está “um pouco diferente”. Recebe leite materno e fórmula láctea industrializada desde 28 dias de idade. Exame físico: peso 4.900 g, T.ax 39,1ºC, FC 144 bpm, FR 40 irpm; alterna períodos de choro intenso com apatia, irritável ao manuseio, hipertonia muscular difusa, fontanela plana levemente deprimida, elasticidade cutânea e turgor discretamente reduzidos, ausência de lágrimas, sede exacerbada, pulsos amplos e acelerados, extremidades acianóticas, ausculta cardiopulmonar, abdome e membros inferiores sem alterações. As duas principais hipóteses diagnósticas são:
Compartilhar