Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Recém nato (RN) de parto normal, 2 dias, a termo, bolsa rota no ato, Apgar, 8/9, PN = 3.000g, estatura = 50 cm, cuja mãe iniciou o pré-natal no 7° mês e somente trouxe os exames solicitados na última consulta obstétrica há duas semanas. Os exames evidenciaram VDRL = 1/64, assintomática, sem tratamento prévio. A paciente recebeu na própria unidade de saúde 2,4 milhões de penicilina benzatina IM, não retornando para a segunda dose. O RN encontrava-se assintomático, com VDRL = 1/64. A conduta é:

A
Acompanhamento ambulatorial com repetição do VDRL em 30 dias.
B
Penicilina benzatina 50.000u/kg/dose IM, 1 vez.
C
Raio X de ossos longos, exame de líquor e penicilina benzatina 50.000u/kg/dose, 1 vez.
D
Raio X de ossos longos, exame de líquor e penicilina cristalina 100.000u/kg/dia, 10 dias, sem neurossífilis.
E
Não precisa realizar propedêutica por ser assintomático, mas administrar penicilina procaína 50.000u/kg IM por 10 dias.
As características clínicas de retardo mental, alta estatura, face longa, mandíbula proeminente, comportamento e fala estereotipados no sexo masculino caracterizam a anomalia cromossômica denominada:
No atendimento à sala de parto de recém-nascido com mecônio, apresentando apneia, bradicardia, cianose generalizada, a conduta imediata a ser realizada é:
Pré-escolar faz referência à presença de "caroço" no pescoço. Ao exame físico, foi evidenciada tumoração fibroelástica de consistência cística localizada na linha cervical média e móvel à deglutição. A principal hipótese diagnóstica, o exame que pode auxiliar no diagnóstico e o tratamento adequado, respectivamente, são:
Considerando a hipertensão porta, a classificação de Child modificada utiliza parâmetros clínicos e laboratoriais para avaliar a reserva funcional hepática. Não faz parte da classificação Child C o paciente que apresenta:
Compartilhar