Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Rn do sexo masculino, com 32 semanas, apgar 7/8 nascido de parto cesáreo, de mãe com doença hipertensiva crônica, está internado na UTI em CPAP nasal, há 6 dias. Começou a apresentar letargia, instabilidade térmica, hipoperfusão periférica e distensão abdominal. Já estava sendo alimentado por sonda orogástrica, com fórmula para prematuro. O Rx de abdome demonstrou edema de parede intestinal e pneumatose intestinal. A hipótese mais provável é:

A
Sepse neonatal por Streptococcus.
B
Enterocolite necrosante.
C
Intolerância alimentar.
D
Colite alérgica grave.
E
Doença metabólica grave.
Homem de 60 anos com queixa de diminuição do jato urinário, esforço para iniciar a micção, sensação de esvaziamento vesical incompleto e nictúria três vezes por noite há cinco anos, evoluindo com piora no último ano. Refere que tais sintomas o incomodam e diminuem sua qualidade de vida. Não apresenta comorbidades, nem faz uso de medicamento. Ao toque retal apresenta próstata de aproximadamente 50 cm3 parenquimatosa, consistência fibroelástica, limites precisos e sem nódulos. Exames complementares: PSA total = 3,6 / PSA livre = 1,2 / Creatinina = 1,0 / Urina 1 = normal / Urocultura = negativa US de Vias Urinárias = rins sem alterações e ausência de dilatação do trato urinário. Bexiga com contornos regulares, sem espessamentos da parede. Próstata (transabdominal) com volume de 48,6 cm3, sem projeção intravesical. Volume vesical pré-miccional de 358 ml e pós-miccional de 80 ml. Considerando as informações acima, a melhor opção para o tratamento do paciente é:
A classificação TNM é usada para estadiamento do câncer de próstata. Tumor Primário (T : X,0,1,2,3,4); Linfonodos regionais - Nódulo (N : X,0,1); Metástase à distância – Metástase (M : X,0,1). Paciente com T2N0M1, representa:
Homem, 70 anos, com plenitude pós-prandial há três meses, seguida de vômitos pós-alimentares. Relata emagrecimento de 10 kg neste período (peso habitual 75 kg). Realizou endoscopia digestiva alta que evidenciou lesão ulcerada localizada no terço distal do estômago, impedindo a passagem do endoscópio. O exame anatomopatológico de biópsia realizada durante a endoscopia mostrou se tratar de carcinoma do tipo intestinal de Laurén. Radiografia de tórax e tomografia computadorizada abdominal sem alterações significativas. Foi indicada terapia nutricional pré-operatória. Dentre as opções terapêuticas abaixo, assinale a mais adequada.
Um homem idoso, diabético tipo II há 6 anos, com claudicação intermitente, angina estável e hipertensão arterial, procura nefrologista devido a rápido agravamento de sua disfunção renal. Sua creatinina, até então estabilizada em 1,8 mg%, chegou a 6,2 mg% em 1 semana, dias após o desenvolvimento de complicação relacionada ao uso de anticoagulação oral (hematúria macroscópica com alargamento do TAP), corrigida com ministração de vitamina K. Ao exame físico constata-se PA: 160 x 95 mmHg; Tax: 37,2º C; FR 20 irpm; FC 84 bpm. Coração em ritmo irregular por fibrilação atrial, pulmões sem adventícios, sopro carotídeo à esquerda e cianose bilateral dos pododáctilos. Ureia 98 mg%; Hb 11,8 g%; 6800 leucócitos/ mm3 ; 12% de eosinófilos; US renal com leve aumento bilateral de ecogenicidade, sem dilatação pieloureteral; Proteinúria de 330 mg nas 24h; Fundoscopia A3H2. Indique a melhor hipótese diagnóstica.
Compartilhar