Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Nefrologia

Hepatologia

São características da síndrome hepatorrenal, EXCETO:

A
eosinofilia e eosinofilúria.
B
insuficiência hepática com sódio urinário baixo.
C
reversível com transplante hepático.
D
histologicamente os rins são normais.
E
o uso de análogos de vasopressina associada à albumina tem bons resultados temporariamente.
Homem de 60 anos procurou urologista com queixa de dificuldade miccional progressiva, caracterizado por jato urinário enfraquecido, resíduo vesical pós-micção e nictúria de 4 vezes. O exame físico demonstrou próstata aumentada de volume e fibroelástica. A ultrassonografia revelou próstata de 60 gramas e PSA de 2,8 ng/dl. Qual conduta deve ser tomada?
Uma senhora de 65 anos foi submetida, há 20 anos, à correção de hérnia incisional pós-cesárea. Evoluiu com recidiva da hérnia quatro meses após a cirurgia. Refere que o abaulamento da região vem aumentando progressivamente, levando a dificuldade para deambular e evacuar. Tem diabetes controlado com hipoglicemiante oral e lúpus controlado com corticoide. Índice de massa corpórea: 43,5 kg/m². Tem abdome em avental, com abaulamento da região infraumbilical e de flanco esquerdo, medindo 55 cm no sentido transversal, 30 cm no sentido longitudinal e 28 cm de altura. A pele tem hiperemia e lesão ulcerada. Foi submetida à hernioplastia com redução do conteúdo do saco herniário (grande omento, cólon transverso e estômago), sutura borda a borda do anel herniário e dermolipectomia. Foi extubada no primeiro pós-operatório, após gasometria normal, colhida com a doente em ventilação mecânica, com fração inspirada de oxigênio de 30%. No segundo pós-operatório, apresenta frequência cardíaca de 140 bpm e respiratória de 42 ipm. PA = 70 × 40 mmHg. Pressão venosa central: +10 cm de água. Oligúria. Causa mais provável da instabilidade:
Adolescente do sexo masculino apresenta dor no quadril D e anormalidade na marcha há uma semana. Nega qualquer outro sinal ou sintoma. Deslizamento da Epífise da Cabeça do Fêmur (DECF) foi a hipótese diagnóstica sugerida pelo pediatra. Em relação ao DECF, é CORRETO afirmar que:
Paciente, 42 anos, 48 kg, perdeu 25 kg em 4 meses, albumina pré-operatória 2,8 g/dl, apresentava obstrução esofágica total por neoplasia de esôfago, realizou esofagectomia total e jejunostomia. Encontra-se na UTI pós-operatória, está no sexto dia de pós-operatório, em dieta zero, extubado, hemodinamicamente estável. Ao exame o abdome mostra-se flácido, ruídos hidroaéreos presentes. Qual a conduta mais adequada em relação ao suporte nutricional deste paciente?
Compartilhar