Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

São características hemodinâmicas do choque cardiogênico:

A
infarto miocárdio anterior, pressão sanguínea diastólica mais alta.
B
acometimento de somente um vaso coronariano, pressão sanguínea sistólica baixa.
C
infarto miocárdio anterior, fração de ejeção ventricular esquerda maior de 60%.
D
acometimento de três vasos coronarianos, pressão sanguínea diastólica baixa.
E
pressão em cunha pulmonar alta, pressão sanguínea diastólica alta.
Paciente comparece à consulta com queixa de perda visual de início há dois dias, gradual, que no momento alcançou perda total da visão em olho direito. Relata que há algumas horas iniciou dor intensa. Refere ser diabético em uso irregular de medicação, hipertenso em acompanhamento. Nega traumas. Ao exame, observa-se hiperemia difusa, reflexo direto diminuido, tensão ocular elevada e à lâmpada de fenda evidencia ausência de ângulo estreito. Com base no quadro anterior, é correto afirmar que a hipótese diagnóstica mais provável para o quadro é:
Criança de 3 anos é trazida para atendimento por ser contato de adulto tuberculoso. Sua mãe está com tuberculose pulmonar bacilífera em tratamento com esquema I do Ministério da Saúde há um mês. A criança apresenta-se assintomática, com raio-X de tórax normal e prova tuberculínica (PPD) de 3 mm. A conduta mais adequada a ser tomada com essa criança é:
Muito frequentemente alguns pacientes são rotulados pela equipe de saúde como pacientes problemas. Dentro deste rótulo são englobados um amplo conjunto de problemas psicosociais e físicos que se manifestam como demandas por atenção. Estes casos geram intenso sofrimento aos pacientes e familiares, grande apreensão para os profissionais de saúde e gastos elevados para o sistema de saúde. Estes casos têm sido classificados como Transtornos Somatoformes. Na avaliação e conduta destes casos é INCORRETO afirmar:
Uma mulher de 69 anos, com queixa de icterícia, fez ultra-sonografia de abdome que mostrou múltiplos cálculos na vesícula biliar e hepatocolédoco dilatado (2,9 cm de diâmetro), com cálculos maiores que 2,0 cm de diâmetro em seu interior. Exames: bilirrubinas: total: 6 mg/dL, direta: 4,2 mg/dL; fosfatase alcalina: 406 U/L e ?GT: 800 U/L. A colangiografia intraoperatória demonstrou ectasia de colédoco. Melhor tratamento:
Compartilhar