Questões na prática

Clínica Médica

Hematologia

São causas de eosinofilia, EXCETO:

A
insuficiência adrenal
B
mastocitose
C
linfomas
D
uso de suplementos com l-triptofano
E
síndrome carcinoide
Escolar de sete anos apresenta quadro súbito de febre (39,1º C) e dor de garganta. À oroscopia demonstrou exsudato branco-acinzentado na amígdala direita, hiperemia de faringe e linfonodos dolorosos em cadeias cervicais, taquicardia sinusal. Assinale a alternativa correta.
Mulher, 65 anos idade, comparece à consulta por quadro de episódios recorrentes de vertigem, que têm ocorrido há cerca de um mês. A vertigem é intensa, rotatória e de breve duração (alguns segundos), desencadeada principalmente por movimentos da cabeça, especialmente quando a paciente se levanta da cama pela manhã, quando olha para cima ou quando vira a cabeça rapidamente para a esquerda. Entre os ataques de vertigem sente-se normal. Antecedentes de hipertensão arterial sistêmica há mais de 20 anos, controlada com losartana e dislipedemia em uso de rosuvastatina. Ao exame nota-se motricidade ocular normal, sem nistagmo ou diplopia, olhos alinhados, sem desvios, o reflexo óculo-cefálico é normal em ambas as direções. Na pesquisa de nistagmo posicional (manobra de Dix-Hallpike), com a orelha esquerda para baixo, observa-se nistagmo provocado pela manobra, com as seguintes características: latência de alguns segundos, nistagmo torsional com componente vertical batendo para a orelha de baixo, em crescendo-decrescendo de breve duração (menos de 10 segundos), acompanhado de forte vertigem rotatória. O restante do exame neurológico é normal. Qual é a principal hipótese diagnóstica para o quadro?
O glaucoma é uma das principais causas de cegueira irreversível no Brasil. A droga hipotensora ocular que atua tanto por diminuir a secreção de humor aquoso quanto por aumentar o fluxo uveoscleral é:
Criança de 5 anos com otalgia há dez dias com tratamento irregular, evoluindo com febre persistente, otorréia e otorragia e abaulamento retroauricular instalado há dois dias. Qual a hipótese diagnóstica mais provável e a conduta adequada?
Compartilhar