Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

São complicações precoces da banda gástrica ajustável:

A
esofagite de refluxo, dilatação gástrica e perfuração gástrica
B
migração da banda, hemorragia e esofagite de refluxo
C
dor, obstrução e perfuração gástrica
D
dor, hemorragia e perfuração gástrica
E
hemorragia, dilatação gástrica e intolerância alimentar
Paciente de 42 anos, em acompanhamento médico por apresentar cirrose hepática de etiologia alcoólica diagnosticada por biopsia hepática realizada há oito meses. Retorna ao medico referindo diminuição da diurese e aumento do volume abdominal. O exame físico revela hepatomegalia, icterícia e ascite. Na investigação da ascite do paciente, o melhor exame para o diagnóstico de hipertensão portal é:
Um paciente de 57 anos, portador de hipertensão controlada, encontra-se em pré-operatório de colectomia direita. A sua classificação, segundo a American Society of Anesthesiologists (ASA), é:
Em relação aos pares cranianos e ao exame clínico do paciente, é correto afirmar:
Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). A cardiotocografia realizada 1h após a internação evidencia padrão periódico, desaceleração da frequência cardíaca fetal, cujo intervalo de tempo entre o início da contração e o princípio da desaceleração é de 35 segundos com linha de base em 130 bpm. Heloísa está agora com 6 cm de dilatação, colo 100% apagado,apresentação em plano“0” de De Lee, líquido de tinto de mecônio. BCF de 110 bpm e cardiotocografia não reativa. No puerpério imediato, a trombose venosa profunda (TVP) de Heloísa se agrava por ter permanecido muito tempo acamada apesar das recomendações médicas para a deambulação precoce. No terceiro dia de puerpério, Heloísa amanhece com as mamas doloridas, muito ingurgitadas, levemente hiperemiadas e temperatura axilar de 37,8°C. Diante deste quadro clínico a conduta é:
Compartilhar