Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

As alterações da mucosa gastroduodenal que favorecem o surgimento de úlcera duodenal em pacientes com infecção por Helicobacter:

A
metaplasia gástrica no bulbo duodenal e pangastrite atrófica
B
metaplasia intestinal no antro gástrico e gastrite crônica antral
C
metaplasia gástrica no bulbo duodenal e gastrite crônica antral
D
metaplasia intestinal no antro gástrico e duodenite atrófica
No tratamento das fístulas anais, pode-se afirmar que:
Paciente de 28 anos, vítima de acidente de trânsito. Após se submeter à laparotomia exploradora e toracotomia direita, é admitido na UTI, intubado, em ventilação mecânica, com dreno pleural à direita e ainda com colar cervical, já que não houve tempo hábil para avaliação neurológica. Está em venóclise periférica, mas necessita de acesso venoso central para administração de drogas vasoativas e aferição da pressão venosa central. Qual seria o acesso mais conveniente para o cateterismo venoso central?
Recém-nascido a termo, de parto vaginal, PN = 3000 g, com líquido amniótico com mecônio espesso e em apneia. Após a colocação do recém-nascido sob fonte de calor radiante, a sequência inicial mais adequada para atendimento será:
Com base nos conhecimentos sobre rinossinusites, considere as afirmativas a seguir. I. Define-se a rinossinusite aguda como condição presente por até 4 semanas, com resolução completa após o tratamento. II. A rinossinusite crônica refere-se a processos inflamatórios da mucosa nasossinusal com persistência dos sinais e sintomas acima de 12 semanas. III. A cefaleia e a halitose são considerados fatores preditivos maiores que sugerem o diagnóstico de rinossinusite aguda. IV. No tratamento da rinossinusite crônica, deve-se levar em consideração o percentual de anaeróbios na escolha do antibiótico. Assinale a alternativa correta.
Compartilhar