Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Reumatologia

São critérios maiores (sistema de Jones) para a Febre Reumática Aguda, exceto:

A
Febre
B
Cardite
C
Coreia
D
Nódulos subcutâneos
E
Poliartrite
Paciente, 40 anos de idade, apresentou secreção sero-hemática à expressão mamária, uniductal, unilateral. O exame palpatório das mamas foi normal. Não faz uso de fármacos. A mamografia e a ultrassonografia das mamas também não revela anormalidades. A conduta inicial é:
Primigesta, 15 anos de idade, com 35 semanas de gravidez, procura a maternidade com cefaleia, escolomas e pressão arterial de 150x100 mmHg. A melhor conduta, nesse caso é:
Paciente, 4 meses de idade é levado à consulta com história de diarreia de 2 dias, com uma média de 5 evacuações/dia e vômitos associados, e febre de 38,9°C. Ao exame físico, sinais de desidratação de 2º grau. O agente etiológico mais provável, nesse caso é:
Você atende um escolar de 7 anos com história de 10 dias de tosse inicialmente seca, que progride para tosse em acessos com expectoração esbranquiçada. É acompanhada, ainda, de febre persistente, anorexia e astenia nos últimos 4 dias. No primeiro dia de febre, por conta própria, a genitora iniciou amoxacilina em doses habituais. Como a febre e tosse persistiram, a mãe resolveu procurar atenção médica. É uma criança previamente hígida, sem antecedentes pessoais dignos de nota. Tem um irmão que apresentou quadro semelhante há 1 mês. Ao exame, estado geral regular, discretamente dispneico, febril, hidratado, acianótico, ausculta cardíaca normal, respiratória com MV diminuído em 1/3 inferior direito com estertores finos, tiragem intercostal discreta e FR = 32 ipm. Ainda há discreto exantema macular em tronco. Qual a conduta correta para esse caso?
Compartilhar