Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Hematologia

Segundo o DATASUS, no Brasil o tromboembolismo pulmonar (TEP) é responsável por cerca de 20 mil óbitos, anualmente; quanto ao TEP, podemos afirmar que:

A
os principais mecanismos responsáveis pela trombose vascular são estase venosa, lesão endotelial e hipercoagulabilidade.
B
um teste negativo com D-dímero descarta por completo a possibilidade de TEP.
C
o anticoagulante oral inibe a síntese dos fatores de coagulação vitamina K dependente (II, III, IX e X).
D
todos os trombolíticos estão indicados no tratamento da fase aguda do TEP.
E
a heparinização só deve ser iniciada após a confirmação do TEP.
A avaliação laboratorial dos processos inflamatórios, por meio das proteínas de fase aguda é corriqueira na prática diária dos reumatologistas. Sobre as proteínas de fase aguda, é correto afirmar:
No tratamento do choque Hemorrágico, o melhor parâmetro clínico para reposição volêmica é:
Mulher de 36 anos, G7P6A0, com 6 semanas de gestação, comparece para iniciar o pré-natal. Antecedentes pessoais: obesidade e candidíase vaginal de repetição. Antecedente obstétrico: seis partos normais anteriores, com três recém-nascidos pesando mais que 4200g. Realizou teste oral de tolerância à glicose de 75g com valor de jejum 117mg/dl e, após 2horas, 163mg/dl. Quais complicações NÃO são esperadas?
Um paciente submetido a gastrectomia distal + reconstrução a BII por uma úlcera gástrica hemorrágica apresenta deiscência da anastomose e é submetido a várias cirurgias para controle da sepse abdominal. Qual das características abaixo deve ser encontrada no pós-operatório?
Compartilhar