Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Seu José, 74 anos, tabagista, 60 Kg, com hipertensão arterial há 4 anos e claudicação intermitente há 11 meses. Usava sinvastatina para hipercolesterolemia, atenolol e hidroclorotiazida, porém a pressão arterial mantinha-se em 190/115 mmHg, com creatinina sérica de 1,5 mg/dL. Foi introduzido captopril 75 mg/dia, sem ser conseguido o controle da pressão arterial. Portanto, foi aumentada a dose de captopril para 150 mg/dia. Após 10 dias, retorna para reavaliação com PA = 138/80 mmHg, FC = 96 bpm, com a presença de frêmito epigástrico, sem dor abdominal. Não apresentava edema em membros inferiores, nem alteração da cor dos pés. Pulsos poplíteos normais e pediosos diminuídos. Exames: ureia = 90,0 mg/dL; creatinina sérica = 3,6 mg/dL; K = 5,6 mEq/L; EAS = densidade 1018, traços de proteínas, sem sangue, exame do sedimento normal. A primeira conduta mais adequada para esse paciente é:

A
deixar o paciente em observação com soro fisiológico intravenoso.
B
manter a medicação em uso e orientar dieta hipossódica e abandono do tabagismo.
C
suspender o captopril, solicitar novamente potássio e a creatinina sérica e encaminhar para nefrologista.
D
reduzir a dose de captopril para 75 mg/dia e dosar o potássio e a creatinina sérica e encaminhar para nefrologista.
Paciente de 2 anos com história de fezes amolecidas, volumosas e brilhantes 8x/dia. História pregressa de 3 episódios de pneumonia. Ao exame: peso e estatura abaixo do 3º percentil. Hemograma: Hb = 12, leucócitos 2.500, 2% bastões, 10% segmentados, 2% eosinófilos, 86% linfócitos, plaquetas 250.000. Radiografia de ossos longos demonstra condrodisplasia metafisária. Qual o diagnóstico?
Qual a hipótese diagnóstica e a principal associação em caso de criança de 18 meses com taquicardia incessante?
São causas de eosinofilia, EXCETO:
Os nódulos pulmonares solitários:
Compartilhar