Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Seu José, 74 anos, tabagista, 60 Kg, com hipertensão arterial há 4 anos e claudicação intermitente há 11 meses. Usava sinvastatina para hipercolesterolemia, atenolol e hidroclorotiazida, porém a pressão arterial mantinha-se em 190/115 mmHg, com creatinina sérica de 1,5 mg/dL. Foi introduzido captopril 75 mg/dia, sem ser conseguido o controle da pressão arterial. Portanto, foi aumentada a dose de captopril para 150 mg/dia. Após 10 dias, retorna para reavaliação com PA = 138/80 mmHg, FC = 96 bpm, com a presença de frêmito epigástrico, sem dor abdominal. Não apresentava edema em membros inferiores, nem alteração da cor dos pés. Pulsos poplíteos normais e pediosos diminuídos. Exames: ureia = 90,0 mg/dL; creatinina sérica = 3,6 mg/dL; K = 5,6 mEq/L; EAS = densidade 1018, traços de proteínas, sem sangue, exame do sedimento normal. A primeira conduta mais adequada para esse paciente é:

A
deixar o paciente em observação com soro fisiológico intravenoso.
B
manter a medicação em uso e orientar dieta hipossódica e abandono do tabagismo.
C
suspender o captopril, solicitar novamente potássio e a creatinina sérica e encaminhar para nefrologista.
D
reduzir a dose de captopril para 75 mg/dia e dosar o potássio e a creatinina sérica e encaminhar para nefrologista.
Um homem com 68 anos de idade, hipertenso há 20 e diabético há 4 anos, sofre acidente com água fervendo que compromete 8 % de sua superfície corporal e atinge a epiderme e a derme profunda, com formação de bolhas hemorrágicas. Assinale a conduta mais adequada.
Em consulta pré-natal, o obstetra solicita a paciente com idade gestacional de 36 semanas e diagnóstico de doença hipertensiva específica de gestação, o exame de cardiotocografia basal para análise da vitalidade fetal. Com base nos parâmetros analisados do exame, o feto foi classificado como ativo. Esses parâmetros, que constituem o índice cardiotocográfico, são:
Paciente de 54 anos, casada, VII Gesta Para (6 partos normais), agenda consulta no ambulatório de ginecologia por sangramento genital persistente, que adquiriu odor fétido nos últimos 2 meses. Ao exame ginecológico especular, o colo uterino tinha anatomia alterada em virtude de lesão vegetante, sangrante ao toque da pinça de Cherron. Ao toque bimanual, o útero e ovários tinham volumes normais, esperados para a idade da paciente. Ao toque retal havia um abaulamento extrínseco anterior, e o paramétrio estava fortemente endurecido, com nodulações até a pelve óssea. Submetida à biópsia dirigida do colo uterino, o resultado foi de carcinoma epidermoide invasivo.
Homem de 67 anos, hipertenso e diabético chega ao PS com hemiparesia direita há 1 hora. Exame físico: pulso: 84 (irregular), PA:150 x 80 mmHg; glicemia capilar: 116 mg/dL; neurológico: escala de Glasgow: 15, hemiparesia completa direita e heminegligência. O restante do exame é normal. No eletrocardiograma há fiblilação atrial, e a tomografia de crânio e exames de sangue estão dentro da normalidade. Admitindo-se que não há qualquer contraindicação, nas primeiras 24 horas, é correto prescrever:
Compartilhar