Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Sobre a angiodisplasia do I. Grosso, é correto afirmar, exceto:

A
Não se trata de uma ectasia vascular congênita
B
A maioria das lesões ocorre no cólon transverso e descendente
C
A existência de uma angiodisplasia no ceco não fecha diagnóstico indicando que esta seja a causa do sangramento intestinal
D
Em aproximadamente 23% dos pacientes submetidos a colectomia por sangramento atribuído à lesão colônica, são identificadas lesões em Intestino delgado
E
O diagnóstico é dado pela colonoscopia que permite a terapêutica em caso de sangramento demonstrado
Oito dias após um quadro viral com poucos sintomas respiratórios, pré-escolar de quatro anos apresentou dores abdominais muito intensas seguidas de vômitos persistentes, algumas vezes biliosos. Duas semanas após esse quadro, seu pediatra palpou uma massa em mesogástrio, pouco móvel, com aproximadamente 8 cm de diâmetro. O exame indicado e o provável diagnóstico são, respectivamente:
Escolar de sete anos, sexo masculino, com asma grave sem acompanhamento regular, é levado ao ambulatório por apresentar claudicação intermitente observada há aproximadamente um mês. Refere dor na região coxofemoral com irradiação em direção à patela. Exame físico: afebril; limitação da mobilização do membro inferior direito, principalmente da abdução coxofemoral sem sinais de flogose. Radiografia de quadril: osteosclerose da cabeça do fêmur e achatamento da epífise. Este quadro é compatível com:
Paciente com tosse crônica (> 8 semanas), radiografia do tórax normal e sem uso de inibidores da ECA. A causa mais frequente é:
Uma senhora de 72 anos de idade, diabética, hipertensa e tabagista, relata que apresenta dor abdominal além de massa palpável em região de mesogástrio e epigástrio de crescimento progressivo. Após avaliação médica teve diagnóstico de aneurisma de aorta abdominal volumoso infrarrenal. Considerando o diâmetro do aneurisma, a partir de quantos "cm" esta doença apresenta indicação cirúrgica?
Compartilhar