Questões na prática

Pediatria

Ortopedia

Ortopedia

Sobre as fraturas de membro inferior em crianças assinale a afirmativa INCORRETA:

A
A mais comum é a do fêmur e está relacionada significativamente à colisão de automóveis.
B
As fraturas da tíbia são as mais frequentes e causadas, na maioria das vezes, por quedas pouco importantes.
C
A localização da fratura, sua gravidade e a idade da criança influenciam no tratamento.
D
Muitas dessas fraturas acontecem em crianças ainda aprendendo a andar ou são fraturas de baixa energia e sem deslocamento.
E
Colisões de automóveis e lesões de alta energia são mais comuns em crianças mais maduras, resultando em fraturas da tíbia e da fíbula.
Tereza, 19 anos, primigesta, inicia pré-natal na 25ª semana de gestação. Faz exames: grupo sanguíneo O Rh negativo, Du negativo, Coombs indireto: 1:16. Relata febre, astenia e discreto exantema generalizado em torno da 10ª semana de gestação, que involuíram espontaneamente. Não procurou atendimento médico à época. Como Tereza iniciou o pré-natal tardiamente, perdeu-se a oportunidade de realizar ultrassonografia transvaginal para avaliação de marcadores não invasivos biofísicos de doenças cromossomiais do feto. Com 35 semanas de gravidez procura o médico com cefaleia escotomas e PA 150x100 mmHg. A melhor conduta é fazer sulfato de magnésio é:
Uma adolescente de 13 anos procurou a Unidade Básica de Saúde acompanhada de sua genitora, com queixas de prurido e vermelhidão ocular. Apresenta secreção ocular clara, sem formação de crostas. O exame ocular no momento é normal, exceto por uma leve injeção bilateral da conjuntiva. Qual será o tratamento mais apropriado nesse caso?
Mulher, com 26 anos de idade, universitária, encaminhada pelo ginecologista por suspeita de diabetes, a partir do tratamento por infecção no trato urinário. Tem história familiar de avós paternos com diabetes. Exames: Em 10/09/2007: urina I com densidade 1010; pH 8,0; proteína +; glicose ++; corpos cetônicos negativos; leucócitos 300.000 por campo; hemácias 70.000 por campo; bactérias abundantes. Glicemia capilar: 96 mg/dl. Em 30/09/2007: glicemia de jejum 82 mg/dl; glico-hemoglobina: 5,9%, urina I com densidade 1020; pH 6,0; glicose ++, leucócitos 10 por campo, bactérias raras e cristais ausentes. Em 25/10/2007: teste oral de tolerância à glicose 85-131-80 mg/dl; urina I com densidade 1030; pH 6,0; glicose ++; leucócitos 20 por campo; bactérias raras; cristais ausentes. Com estes dados é possível afirmar que:
Paciente, de 35 anos, sexo masculino, casado há cinco anos, há três anos tenta gestação. Traz o seguinte espermograma: Volume = 6,0 ml; pH = 8,5; viscosidade aumentada; 20 milhões de sptz/ml; motilidade A + B = 35%. A suspeita clínica é compatível com:
Compartilhar