Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Tereza, 19 anos, primigesta, inicia pré-natal na 25ª semana de gestação. Faz exames: grupo sanguíneo O Rh negativo, Du negativo, Coombs indireto: 1:16. Relata febre, astenia e discreto exantema generalizado em torno da 10ª semana de gestação, que involuíram espontaneamente. Não procurou atendimento médico à época. Diante do resultado do teste de Coombs indireto, a propedêutica mais indicada é:

A
repetir o teste de Coombs e, caso haja aumento da titulação, programar interrupção na 28ª semana de gestação.
B
acompanhar o pico de velocidade sistólica máxima com a Dopperfluxometria da artéria cerebral média do feto.
C
realizar genotipagem fetal através de células do líquido amniótico.
D
providenciar transfusão intravascular em caso de hematócrito fetal < 35%.
Mulher de 27 anos, com histórico de litíase renal, é submetida à ecografia abdominal que demonstra nódulo hepático. É submetida, então, à ressonância magnética, que diagnostica hiperplasia nodular focal de 5 cm de diâmetro no lobo direito do fígado. Refere uso de anticoncepcional oral. A conduta mais adequada nessa situação é:
Uma paciente de 60 anos de idade com antecedente de hipertensão arterial controlada, dislipidemia em uso de sinvastatina e histórico de tabagismo há 40 anos, cujo resultado anatomopatológico de uma cirurgia de Ressecção Endoscópica de Tumor de Bexiga (RTU) revelou um carcinoma urotelial de alto grau com invasão do músculo detrusor. O tumor era de aproximadamente 2,0 cm de tamanho, localizado na parede vesical anterior e foi totalmente ressecado na RTU. Qual a melhor conduta a seguir para este paciente?
Em relação aos tumores sólidos na infância, é CORRETO afirmar:
Paciente acabou de completar 50 anos de idade sem historia familiar de doença neoplásica da próstata. Qual seria a sua atitude para a saúde prostática?
Compartilhar