Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Tereza, 19 anos, primigesta, inicia pré-natal na 25ª semana de gestação. Faz exames: grupo sanguíneo O Rh negativo, Du negativo, Coombs indireto: 1:16. Relata febre, astenia e discreto exantema generalizado em torno da 10ª semana de gestação, que involuíram espontaneamente. Não procurou atendimento médico à época. Diante do resultado do teste de Coombs indireto, a propedêutica mais indicada é:

A
repetir o teste de Coombs e, caso haja aumento da titulação, programar interrupção na 28ª semana de gestação.
B
acompanhar o pico de velocidade sistólica máxima com a Dopperfluxometria da artéria cerebral média do feto.
C
realizar genotipagem fetal através de células do líquido amniótico.
D
providenciar transfusão intravascular em caso de hematócrito fetal < 35%.
Homem procedente do sistema prisional com queixa de febre vespertina e tosse há 8 semanas, emagrecimento de 10 kg e, atualmente, dispneia aos esforços. Ao exame expansibilidade diminuída em terço inferior do hemitórax esquerdo, macicez à percussão, frêmito toraco-vocal e murmúrio vesicular abolidos nessa localização.
A necrólise epidérmica tóxica é a mais grave das farmacodermias, e é devido a acelerada apoptose de queratinócitos.Apresenta elevados índices de morbidade e mortalidade se não diagnosticada e tratada precocemente.Para tratamento, recomenda-se prescrever altas doses, por via endovenosa, de:
Paciente feminina, de 43 anos, encaminhada por adinamia, lentificação psicomotora e sintomas depressivos. Apresentando tosse, com escarro amarelado, há 7 dias. Ao exame físico, PA 90/60 mmHg e rarefação de pelos pubianos. Os familiares referiam história prévia de complicação obstétrica hemorrágica há 7 anos e amenorreia, desde então. Exames laboratoriais:TSH 8,0 (0.45-4,5 mUI/L), T4L 0.3 mg/dL (0,6-1,7mg/dL) e glicemia 45 mg/dL. Trata-se, provavelmente, de:
Marque a alternativa que NÃO contém um diagnóstico de complicação da traqueostomia:
Compartilhar