Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Ortopedia

Thiago, de 23 anos, vítima de atropelamento chega ao Pronto-Socorro verbalizando e queixando muita dor na perna e abdome. Está dicretamente taquipneico, com murmúrio vesicular audível em ambos os pulmões e com frequência respiratória 26 irpm. Está taquicárdico com 120 bpm de frequência cardíaca e com pressão arterial de 90x60. Após infusão de 2000ml de cristaloide não se observou uma boa resposta cardiovascular. Escala de coma de Glasgow de 15, com todos os reflexos presentes. Existe dor a mobilização do quadril e há fratura fechada de fêmur direito. Como o serviço não dispõe de ultrassonografia na sala de atendimento, opta-se por realizar um lavado peritoneal pela técnica aberta, que foi positivo para sangue. O cirurgião chefe decide então encaminhá-lo à sala cirúrgica. O achado cirúrgico foi pequena quantidade de sangue na cavidade peritoneal e grande hematoma na zona III. Qual deve ser a conduta?

A
Fechar abdome e providenciar a fixação da bacia.
B
Abordar cirurgicamente o hematoma para clampear o vaso sangrante.
C
Fazer manobra de Catel para identificar sangramento.
D
Manobra de Mattox para detectar a origem do sangramento.
A tosse representa um mecanismo de defesa importante na remoção de secreções excessivas e de corpos estranhos das vias aéreas. Apresenta-se como um dos sintomas mais comuns entre aqueles que levam pacientes a buscar atendimento médico. Com relação à tosse crônica, assinale a alternativa CORRETA:
A utilização da ventilação mecânica invasiva é muito eficaz para realizar o suporte ventilatório e a manutenção das trocas gasosas, porém cursa com complicações relacionadas diretamente ao processo de entubação e redução da defesa das vias aéreas. O uso da ventilação mecânica não-invasiva (VMNI) é uma alternativa que pode evitar essas complicações em pacientes com insuficiência respiratória aguda ou crônica agudizada. São indicações da ventilação mecânica não-invasiva (VMNI), EXCETO:
Homem, 22 anos, sofre ferimento por projétil de arma de fogo em região glútea esquerda. Não há dor abdominal nem hematúria e os sinais vitais estão estáveis. Não apresenta orifício de saída. O radiograma simples de abdome mostra o projétil na pelve à direita. Qual o melhor método para investigar eventual lesão do reto neste caso?
Homem, 65 anos, refere dor e desconforto na região inguinal direta, que se acentua aos esforços. Ao exame, palpa-se massa de cerca de 3 cm, indolor, consistência elástica, móvel ao exame e, conforme a variação da pressão abdominal faz protrusão na parede. Em relação a esta situação, são apresentadas as assertivas a seguir. I. Trata-se de hérnia direta por persistência do conduto peritônio-vaginal. II. O risco de encarceramento é maior já que se trata de hérnia direta. III. Trata-se de hérnia direta medial aos vasos epigástricos inferiores. Qual é a alternativa correta?
Compartilhar