Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Pneumologia

Dermatologia

TUBERCULOSE. Assinale a resposta correta:

A
A TB pleural frequentemente é transmitida pela eliminação do BK através das vias aéreas do paciente doente.
B
TB pleural é a forma mais comum de tuberculose em indivíduos imunocompetentes, depois da TB pulmonar.
C
O tratamento da TB pleural com derrame pleural consiste na drenagem torácica, não sendo necessários os 6 meses de tratamento com drogas antituberculosas.
D
Indivíduos que tem contato próximo de um paciente com TB pulmonar bacilífera, mesmo apresentando RX tórax normal e assintomáticos devem ser tratados por pelo menos 2 meses com rifampicina.
E
Não devemos tratar os pacientes suspeitos de TB pulmonar quando o exame de escarro apresentar BAAR de apenas uma cruz (BAAR + = pouca quantidade de bacilos na amostra analisada), e sim, quando apresentar pelo menos duas cruzes (BAAR ++ = media quantidade de bacilos na amostra analisada).
Homem, 29 anos de idade, motorista, com história de lombalgia há cinco anos, refere dificuldade para realização de suas atividades no período da manhã, mas com melhora após o almoço. Nota melhora da lombalgia com uso de naproxeno. Há 2 semanas vem observando olho vermelho, com dor e embaçamento visual à direita. Exame clínico apresenta hiperemia difusa de olho direito, ausência de dor ou edema em articulações periféricas. Discreta limitação para flexão de coluna lombar (Teste de Schober = 3,5 cm). O restante do exame clínico está normal. Considerando que o diagnóstico mais provável foi confirmado, qual alternativa abaixo traz as características clássicas de uveíte aguda associada a essa condição?
Paciente, 65 anos, encontra-se no pós-operatório de resseção de um tumor de língua, com glossectomia e traqueostomia no terceiro anel traqueal. O paciente é despertado em sala e encaminhado à recuperação pós-anestésica, sob nebulização na traqueostomia, sem drogas vasoativas e estável hemodinamicamente. Após 4 horas do procedimento, você é chamado para reavaliar o paciente na recuperação pós-anestésica, dado que ele apresenta sangramento ao redor da cânula de traqueostomia, sem instabilidade hemodinâmica. Qual é a conduta mais adequada neste momento?
Escolar de sete anos apresenta quadro súbito de febre (39,1º C) e dor de garganta. À oroscopia demonstrou exsudato branco-acinzentado na amígdala direita, hiperemia de faringe e linfonodos dolorosos em cadeias cervicais, taquicardia sinusal. Assinale a alternativa correta.
Mulher, 65 anos idade, comparece à consulta por quadro de episódios recorrentes de vertigem, que têm ocorrido há cerca de um mês. A vertigem é intensa, rotatória e de breve duração (alguns segundos), desencadeada principalmente por movimentos da cabeça, especialmente quando a paciente se levanta da cama pela manhã, quando olha para cima ou quando vira a cabeça rapidamente para a esquerda. Entre os ataques de vertigem sente-se normal. Antecedentes de hipertensão arterial sistêmica há mais de 20 anos, controlada com losartana e dislipedemia em uso de rosuvastatina. Ao exame nota-se motricidade ocular normal, sem nistagmo ou diplopia, olhos alinhados, sem desvios, o reflexo óculo-cefálico é normal em ambas as direções. Na pesquisa de nistagmo posicional (manobra de Dix-Hallpike), com a orelha esquerda para baixo, observa-se nistagmo provocado pela manobra, com as seguintes características: latência de alguns segundos, nistagmo torsional com componente vertical batendo para a orelha de baixo, em crescendo-decrescendo de breve duração (menos de 10 segundos), acompanhado de forte vertigem rotatória. O restante do exame neurológico é normal. Qual é a principal hipótese diagnóstica para o quadro?
Compartilhar