Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Doenças Respiratórias

Um bebê de dois meses de idade apresenta diarreia aquosa, oito episódios ao dia, com raios de sangue, e febre baixa, há 3 dias. Os pais referem que o bebê mama exclusivamente ao seio, e que recentemente (há uma semana), tomou as vacinas Tetra-HIB (difteria, coqueluche, tétano e Haemophilus influenzae tipo B), Antipólio (Sabin), e antirrotavírus. O estado do bebê é razoável, sem sinais de desidratação. Marque a alternativa correta em relação a este caso.

A
A causa mais provável da diarreia é infecção viral aguda; reações vacinais não são esperadas nas primeiras doses das vacinas administradas no segundo mês de vida
B
A causa mais provável da diarreia é reação ao vírus da pólio oral, que é um vírus vivo atenuado
C
A causa mais provável da diarreia é reação ao componente pertussis da Tetra-HIB, comumente associado à febre e sintomas gastrintestinais
D
A causa mais provável da diarreia é a reação à vacina antirrotavírus, uma apresentação com vírus vivos atenuados.
E
Devido a este evento, recomenda-se que a próxima dose das vacinas pólio e rotavírus neste bebê sejam administradas por via intramuscular (4º mês de idade)
Mulher, com 26 anos de idade, universitária, encaminhada pelo ginecologista por suspeita de diabetes, a partir do tratamento por infecção no trato urinário. Tem história familiar de avós paternos com diabetes. Exames: Em 10/09/2007: urina I com densidade 1010; pH 8,0; proteína +; glicose ++; corpos cetônicos negativos; leucócitos 300.000 por campo; hemácias 70.000 por campo; bactérias abundantes. Glicemia capilar: 96 mg/dl. Em 30/09/2007: glicemia de jejum 82 mg/dl; glico-hemoglobina: 5,9%, urina I com densidade 1020; pH 6,0; glicose ++, leucócitos 10 por campo, bactérias raras e cristais ausentes. Em 25/10/2007: teste oral de tolerância à glicose 85-131-80 mg/dl; urina I com densidade 1030; pH 6,0; glicose ++; leucócitos 20 por campo; bactérias raras; cristais ausentes. Com estes dados é possível afirmar que:
Considerando pacientes com pré-diabetes, é verdade que:
Qual a melhor conduta para um caso de hanseníase dimorfa, baciloscopia 2+, com reação tipo I?
Mulher branca, com 34 anos de idade, procura ambulatório do SUS com queixa de fraqueza e palidez há três meses, chegando a desmaiar por duas vezes, alterações do apetite e no sono. Ao exame físico, apresentava mucosas descoradas e edema de membros inferiores até os joelhos. Os exames laboratoriais revelaram anemia normocrômica mormocítica, série branca normal e plaquetas normais. A creatinina era 1,7 mg %, ureia de 78 mg%, T4 livre e TSH normais, eletroforese de proteínas plasmáticas com albumina baixa e pico monoclonal na região da gama globulina. A proteinúria de 24 horas apresentou grade de cadeias leves de imunoglobulinas do tipo Kappa. Na elucidação diagnóstica do caso é fundamental pedir:
Compartilhar