Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Nefrologia

Neonatologia

Um dos problemas mais sérios encontrados em até 35% dos indivíduos em espinha bífida e outros distúrbios urológicos que necessitam de cateterismo vesical intermitente e de procedimentos de reconstrução do trato urinário é a alergia ao:

A
Látex.
B
Thimerosal.
C
Ácido acetilsalicílico.
D
Bicromato de potássio.
Qual cirurgia confere menor índice de recidiva para tratamento de uma hérnia inguinal Nihus III C?
Responda às próximas duas perguntas baseados neste caso clínico e de acordo com as IV Diretrizes Brasileiras para Manejo da Asma. A mãe de uma menina de dois anos de idade relata na consulta pediátrica de rotina que sua filha “vive gripada”. Refere que a criança apresenta quadros repetidos de coriza, obstrução nasal e espirros. Praticamente toda semana precisa utilizar nebulização com beta 2 agonista para alívio de tosse e “cansaço”. Estes quadros ocorrem há cerca de um ano e melhora rápido quando nebuliza. No momento a criança está bem, sem queixas e no exame físico o pediatra observa lesões compatíveis com dermatite atópica. A mãe é asmática, mas não faz uso de medicação profilática: o pai fuma em casa. Qual a classificação proposta para o quadro de asma desta criança e qual conduta?
Criança de 05 anos é atendida com história de prurido nas mãos, acompanhado de ‘’bolinhas’’ que se rompem e algumas às vezes infectam. Já usou diversos medicamentos tópicos. Há períodos de melhora, entremeados com recidiva. Ao exame local: lesões vesículosas em palmas das mãos e plantas dos pés, isoladas ou agrupadas, algumas com conteúdo claro, outras de coloração turva. Lesões descamativas também nos mesmos locais. Qual o diagnóstico provável?
A otite média aguda bacteriana que ocorre com maior frequência em crianças, no decurso da moléstia infectocontagiosa, é a:
Compartilhar