Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Endocrinologia

Pediatria Geral

Um garoto de 13 anos se apresenta ao pediatra para uma visita. Ele está bem, mas durante o ano passado, ele cresceu mais de 10 cm e há relato de sua mãe que ele tem se queixado de dores de cabeça e dores “ósseas" (sic) ao longo dos últimos meses. Seu exame genital revela testículos pequenos e uma ausência de pelos pubianos. O restante do seu exame é normal. Baseado nesses achados, o diagnóstico mais provável é:

A
acromegalia.
B
excesso de andrógenos.
C
alta estatura constitucional.
D
síndrome de Marfan.
E
gigantismo hipofisário.
ABF, sexo masculino, 42 anos, comparece ao pronto-socorro com quadro de dor intensa em tornozelo direito, sente dor até ao passar o lençol com 8 horas de evolução. Informa já ter apresentado dor e edema em hálux esquerdo 2 meses antes, com melhora após uma semana, tendo usado, à época, AINEs por conta própria. Nega febre, hiporexia. História de etilismo, três a quatro garrafas de cerveja, 3 e 4 vezes por semana. Não faz acompanhamento médico regular. Ao exame: FC: 84 bpm; PA: 150 x 90 mmHg; Tax: 37,8°C; FR: 16 irpmin. Presença de edema, calor rubor em tornozelo direito. Sem outras alterações ao exame físico. Exames laboratoriais: Hb: 14,6 g%; Ht: 43%; VCM: 92; GL: 14,230 (S: 72% L: 21% Mon: 6% Eo: 1%); Plaq: 323.000; Ureia: 33 mg/dL; Creatinina: 1,1 mg/dL; Ácido úrico: 6,2 (VR: 7,0 a 9,6); PCR: 86 mg/dL; RX tornozelo D: Aumento de partes moles, sem outras alterações. Com relação ao caso anterior, é CORRETO afirmar que:
As características da convulsão febril são:
Sobre o mecanismo de lesão nas hepatites medicamentosas, assinale a alternativa que apresenta a droga que se correlaciona com lesão colestática por lesão nos ductos biliares:
Flávia, 18 anos, solteira, vida sexual ativa desde os 15 anos; procurou seu médico de família com queixa de secreção vaginal tipo “clara de ovo”, sem odor, prurido e sem sintomas infecciosos; tendo aumentado de volume nos últimos 2 meses. Ao realizar o exame ginecológico, observou a mucosa vaginal sem alterações. Qual a principal hipótese diagnóstica e tratamento?
Compartilhar