Questões na prática

Clínica Médica

Neurologia

Um homem de 37 anos, alcoolista crônico, é trazido ao Ambulatório de Clínica Médica por sua esposa. Há 2 resumos de altas referentes a internamentos prévios, nos quais o paciente estava desorientado, com nistagmo horizontal e marcha atáxica. Durante o exame clínico atual, observa-se perda de memória para fatos recentes, além de apatia. O sensório está praticamente normal, assim como a memória de longo prazo. Qual o diagnóstico mais provável?

A
Síndrome de Korsakoff.
B
Encefalopatia de Wernicke.
C
Doença de Machado-Joseph.
D
Degeneração alcoólica cerebelar.
Mulher, 74 anos de idade, com neoplasia de mama e metástases ósseas, apresenta queixas de fraqueza muscular, náuseas, constipação intestinal e dores difusas, há 1 semana. Exame laboratorial evidenciou cálcio total = 15 mg/dl (normal: 8,5 a 10,5 mg/dl). A primeira conduta para este caso é:
Em unidade básica de saúde, você recebe uma paciente de 44 anos de idade por alteração no exame de glicemia. A paciente relata ganho de peso gradual (25 kg/10 anos) e cansaço aos grandes esforços. Nega poliúria, polidipsia ou outras queixas. Nega uso de medicações. Relata ter uma irmã com Diabetes Mellitus em tratamento o qual não sabe especificar. Apresenta ao exame físico, índice de massa corporal de 34 kg/m²; circunferência abdominal 94 cm; FC: 84 bpm, PA: 110 x 75 mmHg, sem outros achados relevantes. Exames subsidiários: glicemia de jejum: 118 mg/dl, colesterol total: 238 mg/dl, triglicérides 213 mg/dl, colesterol HDL: 53 mg/dl. O diagnóstico e conduta inicial mais adequados são:
Recém-nascido prematuro de 32 semanas, com Apgar 8 e 9 evoluiu com doença da membrana hialina. Está com 10 dias de vida com parâmetros respiratórios muito bons. Desde o 2º dia iniciou a alimentação enteral mínima por sonda nasogástrica, com boa aceitação e evacuação normal de mecônio. Há 2 horas apresentou letargia, palidez, taquicardia e distensão abdominal acentuada com drenagem de grande quantidade de líquido de estase pela sonda. Nota-se distensão dolorosa à palpação profunda, sem sinais flogísticos e o RX simples de abdome revela apenas distensão gástrica e opacidade no restante do abdome. O diagnóstico mais provável é:
Homem, 60 anos de idade, tabagista e cardiopata, deu entrada na UTI com diagnóstico de pielonefrite e choque séptico, necessitando de noradrenalina em altas doses e ventilação mecânica invasiva. Após 3 dias na UTI, apresentou dificuldade de desmame ventilatório e o RX de tórax mostra infiltrado pulmonar bilateral, PaO2/FIO2 "menor ou igual a" 200, pressão de oclusão da artéria pulmonar < 18 mmHg. O diagnóstico é:
Compartilhar