Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Endocrinologia

Um homem de 39 anos, diabético tipo I há 12 anos, apresenta náuseas e vômitos de alimentos não digeridos, que evolui há 5 meses, associados com emagrecimento de 4 Kg no período. O exame físico revela PA: 130 X 80 mmHg em decúbito e 110 X 60 em ortostanismo. O coração está em ritmo regular de 2 tempos, sem sopros, a ausculta pulmonar não evidencia anormalidades de monta senão discreta distensão epigástrica. A conduta prioritária neste caso seria:

A
endoscopia digestiva alta.
B
pesquisa de sangue oculto.
C
cortisol sérico.
D
sonda nasogástrica.
E
curso empírico de omeprazol.
Cícero, 50 anos, foi internado com história de edema generalizado há 4 meses. Negava dispnéia ou icterícia. Vinha trabalhando normalmente. Ao exame físico, demonstrava anasarca, corado, anictérico, PA=130/80 mmHg, FC=84 bpm. Sem sinais de congestão pulmonar ou de insuficiência cardíaca. No dia 4 de internação apresentou forte dor em hemitórax direito acompanhada de dipneia, cianose, PA=90/70 mmHg e FC=120 bpm. O Rx de tórax estava normal. As condutas para o esclarecimento diagnóstico do evento agudo e da doença de base são respectivamente:
Segundo o documento “Estimativa 2016: Incidência do câncer no Brasil”, do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, do Ministério da Saúde do Brasil, NÃO é fator de risco para câncer de próstata:
Paciente do sexo feminino, 56 anos, com abdominoplastia prévia é submetida a colecistectomia videolaparoscópica. Durante a indução do pneumoperitônio apresentou bradicardia intensa. A etiologia mais provável deste evento e o tratamento mais adequado são:
Severino de 34 anos, foi vítima de ferimento abdominal por arma de fogo no quadrante superior direito há 3 meses. Há 6 dias iniciou com melena e hoje apresentou um episódio de hematêmese, quando então procura o pronto-socorro. Ao exame constata-se uma icterícia ++/4. Qual o exame de escolha para confirmar o diagnóstico?
Compartilhar