Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Um homem de 52 anos de idade recorreu ao pronto-socorro de um hospital geral, queixando-se de intensa dor epigástrica com irradiação para região dorsal e vômitos que tiveram início cerca de 10 horas após o almoço. A avaliação clínica mostrou frequência cardíaca de 112 bpm, pressão arterial de 110 mmHg x 75 mmHg. Os exames cardiovasculares e respiratórios não apresentam alterações. O exame do abdome mostrou ruídos hidroaéreos normais, moderada dor na região epigástrica, ausência de hepatoesplenomegalia, ausência dos sinais de Cullen de Blumberg de Jobert de Giordano e de Torres Homem. A avaliação laboratorial mostrou 16.500 leucocitos/mm³, hematócrito de 48% no hemograma, amilase sérica - 1.520 unidades por litro (U/L) - valores de referência: 20-125 U/L - lipase sérica = 2.800 U/L (valores de referência: 20-125 U/L), transaminase pirúvica = 180 U/L (valores de referência: 10-40 U/L), cálcio sérico, albumina, trigliceridios, eletrólitos, ureia e creatinina dentro da normalidade. O eletrocardiograma convencional mostrou apenas taquicardia sinusal. No quadro clínico descrito no texto, a ausência de peritonite pode ser clinicamente inferida, pois não está presente o sinal de:

A
Jobert.
B
Cullen.
C
Giordano.
D
Torres Homem.
E
Blumberg.
Em um paciente alcoolista é detectado um tempo de protrombina prolongado. Em relação a este achado, todas as alternativas são corretas, EXCETO:
Desde a década passada, a Atenção Integral às Doenças Prevalentes da Infância (AIDPI) revelou-se uma estratégia adequada à disposição dos médicos, com um conjunto básico de intervenções baseadas em evidências científicas que permitem prevenir e tratar eficazmente as principais doenças e problemas que afetam a saúde nos primeiros anos de vida. Acerca dessas evidências, julgue o item. O caso de uma criança que se queixa de dor no ouvido e que, na observação, apresenta secreção purulenta no ouvido e tumefação dolorosa ao toque atrás da orelha deve ser classificado como mastoidite.
A febre amarela e a dengue são doenças cujas estruturas epidemiológicas apresentam semelhanças. A respeito desses agravos, julgue o próximo item. A febre amarela silvestre é clinicamente mais grave que a febre amarela urbana.
Assinale a alternativa que NÃO precisa ser evitada no caso de paciente do sexo masculino com diagnóstico de paralisia periódica hipercalêmica.
Compartilhar