Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Nefrologia

Um homem de 55 anos, com insuficiência cardíaca congestiva, vem em tratamento com aspirina, enalapril e furosemida. Durante o acompanhamento, nota-se aumento progressivo das escórias nitrogenadas e hipercalemia. Retirado o enalapril, aos poucos a calemia e a creatinina sérica voltam ao normal. Algumas tentativas de reintroduzir tanto inibidores da enzima conversora de angiotensina quanto antagonistas do receptor da angiotensina levaram novamente aos efeitos citados. Visando a aumentar sua expectativa de vida e prevenir aqueles efeitos colaterais, a combinação de drogas que deve ser usada para substituir o enalapril no tratamento deste paciente é:

A
nitrato e carvedilol.
B
hidralazina e espironolactona.
C
carvedilol e espironolactona.
D
espironolactona e hidralazina.
Vinicius, 45 anos, é empresário e viajará para Manaus a trabalho por 6 meses. Queixa-se de rouquidão pela manhã e azia há 4 anos. Sua mãe contava que ele apresentava episódios de diarreia na infância, acompanhados de distensão abdominal, cólica e assaduras (dermatite) persistentes. Na época foram retirados de sua alimentação o leite e seus derivados, sendo permitido o uso de iogurte. Evoluiu sem sintomas até a adolescência quando abandonou a dieta. Ao exame físico está eutrófico. Foram prescritos alguns medicamentos sintomáticos e inibidor de bomba de próton (IBP), proposta a investigação diagnostica e a profilaxia de doenças do viajante. Vinicius está assintomático após um mês de tratamento diário com IBP. A endoscopia digestiva mostra esôfago de Barret e a histopatologia afasta displasia. A esofagomanometria revela pressão normal do esfíncter esofagiano inferior e ausência de distúrbios motores. Vinicius permaneceu quatro meses em viagem e retorna antecipadamente com fadiga, febre elevada e dor articular intensa, calor e edema em joelho direito, tornozelo direito, dorso do pé e punho esquerdo, além de lombalgia, há uma semana. Deambulava com grande dificuldade e havia recebido diagnóstico de tendinite do Aquileu bilateral. Ao retornar, revela ao médico ter tido relações sexuais sem preservativos com uma colega de trabalho, durante a viagem, seguida, algumas semanas após, de disúria autolimitada. O quadro descrito acima também pode ser desencadeado por:
Tercigesta, com seis semanas, refere dor em baixo ventre e sangramento vaginal há três horas, associados a vômitos e dor no ombro direito. Exame físico: palidez cutâneo-mucosa, taquicardia e pressão arterial de 80 / 40 mmHg, presença de pequena quantidade de sangue em fundo de saco vaginal e dor a mobilização de colo uterino. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Em relação ao nervo ulnar qual a afirmativa correta?
Paciente de 65 anos, sexo masculino, lavrador, há 4 meses apresenta lesão nódulo-ulcerada, com crosta hemática, medindo 0,8 cm de diâmetro no lábio inferior. Tabagista (20 cigarros/dia). Sobre esse quadro clínico, assinale a alternativa INCORRETA.
Compartilhar