Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Um homem de 57 anos é levado ao pronto-socorro por uma unidade de resgate, com queixa de dor abdominal difusa há oito horas. Está em regular estado geral, tem frequência cardíaca de 120 batimentos por minuto, pressão arterial de 90×50 mmHg, frequência respiratória de 24 incursões por minuto e saturação de oxigênio de 92%, com cateter de O2 com 2 L/minuto. O abdome está tenso e com rigidez involuntária. A radiografia simples de abdome mostra presença de gás extraluminal. Antes que esse paciente seja encaminhado à sala de operação, é fundamental fazer:

A
monitorização hemodinâmica invasiva por meio de cateter de Swan-Ganz
B
acesso venoso e administração de 2 a 3 litros de cristaloide e antibióticos
C
intubação traqueal imediata
D
administração intravenosa de omeprazol
E
administração de drogas vasoativas
Escolar de 8 anos, apresentando quadro sugestivo de GNDA pós estreptocócica, na quarta semana de doença ainda mantém hipertensão arterial e hematúria macroscópica. Exames complementares: Proteinúria 70 mg/Kg/dia; ureia 90 mg/dl; creatinina 3,7 mg/dl; ultrassonografia de vias urinária, rins aumentados de volume, sem perda da relação corticomedular. Neste caso indica-se:
Em relação ao desenvolvimento da síndrome de Stevens-Jonhson, qual (quais) a (s) droga (s) que representa (m) maior risco relativo em análises multivariadas?
No atendimento da criança em estado de mal-epiléptico convulsivo na qual não foi obtido acesso venoso, o mais indicado é:
A anemia falciforme é causada pela presença de dois genes da hemoglobina S, que levam à formação de células em forma de foice, as quais, causando infartos na microcirculação, podem levar a complicações, salientando-se a autoesplenectomia, com a função do baço sendo prejudicada já nos primeiros meses de vida. Devido a essa alteração, os seguintes cuidados devem ser instituídos para uma criança com 2 anos de idade, com anemia falciforme, que venha à consulta por apresentar temperatura ? 38,3°C:
Compartilhar