Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Nefrologia

Um homem de 60 anos, portador de doença pulmonar obstrutiva crônica grave, está em avaliação pré-operatória para correção de hérnia epigástrica sintomática. Faz uso regular de broncodilatadores. Os exames pré-operatórios revelam: sódio sérico: 121 mEq/L; potássio sérico: 3,6 mEq/L; cloreto sérico: 94 mEq/L e HCO3: 24 mEq/L. Inicia-se o tratamento do distúrbio hidroeletrolítico com restrição hídrica, mas as anormalidades não são corrigidas de forma satisfatória. Próximo passo:

A
Corrigir a hérnia, mesmo assim.
B
Repetir os exames laboratoriais em 2 semanas.
C
avaliar a fração de excreção de sódio, potássio e ureia
D
Administrar solução de cloreto de sódio a 0,9%, por via endovenosa.
E
Dosar os níveis séricos de aldosterona.
Homem, 32 anos de idade, 67 kg e 1,70 m de altura procura unidade básica de saúde com queixa de tosse e expectoração há 4 semanas. Feita investigação diagnóstica com realização de uma radiografia de tórax e 3 baciloscopias, foi confirmado o diagnóstico de tuberculose pulmonar e iniciado tratamento com rifampicina, isoniazida, pirazinamida e etambutol: 4 cps em dose única, uma hora antes do almoço. Paciente retorna após 10 dias, queixando-se de náuseas e vômitos nos dois últimos dias. Além de sintomáticos, a conduta mais adequada para este caso seria orientar o paciente a:
Homem, 45 anos de idade, há 2 meses, apresenta dor, edema, calor e rigidez pós-repouso maior que uma hora em punhos, metacarpofalangianas bilateralmente, interfalangianas proximais bilateralmente e tornozelos. É tabagista e não etilista. Nega outras doenças. Nega sintomas em outros aparelhos. Sem outros achados ao exame físico. Traz os seguintes exames: hemograma normal, VHS = 52 mm/1ª hora; proteína C-reativa = 4,3 mg/dl e radiografia simples das mãos e punhos mostrando osteopenia periarticular em punhos e metacarpofalangianas. A melhor conduta para esse paciente é:
Uma paciente do sexo feminino, 30 anos, notou a presença de nódulo no QSE da mama esquerda durante autoexame. Mamografia mostrou nódulo bem delimitado de 2, 0 cm de diâmetro, sem microcalcificações. Foi realizada punção aspirativa por agulha fina (PAAF) para citopatologia oncótica, que demonstrou numerosos blocos grandes de células ductais, monomórficas, aspecto de “letras chinesas”, sem atipias, boa coesão celular e presença de células bipolares. Para o caso, qual a hipótese diagnóstica?
Paciente de dois anos e sete meses vem ao atendimento de emergência com quadro de tosse e febre (até 39, 7 °C) há seis dias. A cobertura vacinal prevista pelo Programa Nacional de Imunizações está completa. O RX de tórax evidenciou condensação homogênea em base de pulmão D, sem sinais de derrame pleural. Nesse caso:
Compartilhar