Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Neurologia

Um homem sadio, de 26 anos de idade, após retornar de viagem, apresenta faringite, cefaleia e febre. No dia seguinte surgem: dor torácica pleurítica na base do hemitórax direito, tosse produtiva com escarro ora claro, ora com hemoptoicos e dispneia. Atendido no pronto-socorro encontra-se taquipneico, o exame físico do tórax revela estertores na base direita e na região infraclavicular esquerda, além de roncos e sibilos esparsos bilaterais removíveis com a tosse; há macicez à percussão e FTV aumentado na base direita, o paciente se encontra febril, sudoreico e inquieto, a pressão arterial é 100 x 70 mmHg e há taquicardia com 110 bpm. A saturação periférica de oxigênio medida no oxímetro de pulso em ar ambiente é de 92% e o radiograma torácico revela opacidades alveolares com broncograma aéreo na metade inferior do pulmão direito e no terço superior esquerdo. Qual a melhor conduta a ser adotada no pronto-socorro?

A
Internar o paciente em UTI e iniciar heparinização venosa ou subcutânea em dose alta e oxigenoterapia sob cateter nasal.
B
Internar o paciente em UTI e iniciar ciprofloxacina parenteral e assistência ventilatória mecânica após coleta de hemoculturas.
C
Internar o paciente em enfermaria, iniciar ceftriaxone parenteral associada à claritromicina, e oxigenoterapia sob cateter nasal, e coleta de hemoculturas.
D
Iniciar tratamento ambulatorial com levofloxacina oral e reavaliar o paciente em 72 horas.
E
Iniciar tratamento ambulatorial com amoxicilina + clavulanato oral e reavaliar em 72 horas.
Uma mulher diabética, de 46 anos de idade, portadora de insuficiência venosa periférica, chega ao ambulatório com história de dor e uma lesão avermelhada mal definida, em torno de uma erosão sobre a tíbia. Com relação ao quadro acima, qual das seguintes alternativas é correta?
Um menino de 8 anos é atendido com quadro de tosse produtiva há 10 dias. Inicialmente apresentou febre por 48 horas, mal estar e cefaleia com tosse seca, sem coriza ou dor de garganta. O Raio X solicitado demonstrou imagem de infiltração intersticial e peribrônquica. A etiologia mais provável para o quadro é:
Sobre as neoplasias do trato genital feminino pode-se afirmar que:
Pacientes que apresentam claudicação intermitente têm os seguintes sintomas, com exceção de:
Compartilhar