Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Endocrinologia

Um jovem de 16 anos é admitido no pronto-socorro com queixa de dor abdominal, vômitos, febre e sede intensa. Ao exame físico apresenta-se torporoso, desidratado, com 38° de temperatura, taquipneico, acianótico, pulso cheio 98 bpm, PA: 100 x 60 mmHg, perfusão periférica satisfatória. Não há alterações evidentes na ausculta cárdio-pulmonar. A palpação do abdômen é inocente, sem sinais de irritação peritoneal ou massas anômalas. Os exames iniciais revelam: Hb 15g/dl, Htc: 45%, leucócitos: 13.800 (85% neutrófilos), plaquetas: 180.000, amilase: 120 UI, TGO: 22 UI, TGP: 31 UI, glicemia: 450mg/dL, Na: 140 mEq/L, K: 3,1 mEq/L, ureia: 50mg/dL, creatinina: 1,2mg/dL, urina tipo I: leucocitúria superior a 1 milhão, hematúria: 50.000, cetonúria ++++. Rx de tórax normal. A melhor conduta neste caso é:

A
hidratação por sonda nasoenteral com água livre, bicarbonato de sódio EV, insulina NPH subcutânea e gentamicina EV.
B
hidratação com solução fisiológica 0,9% EV, cloreto de potássio em infusão lenta EV, coleta de gasometria arterial, insulina regular endovenosa e ciprofloxacino EV.
C
hidratação com solução fisiológica 0,9% bicarbonato de sódio EV, cloreto de potássio via oral, insulina regular subcutânea e penicilina cristalina EV.
D
hidratação com Ringer lactato, cloreto de potássio EV, insulina NPH intramuscular e sulfametoxazoltrimetopina via oral.
E
hidratação com coloides EV, bicarbonato de sódio, insulina regular endovenosa e ampicilina EV.
Jorge vem ao consultório com queixa ocular de embaçamento visual progressivo e dor leve em um dos olhos, apresentando, ao exame, hiperemia da conjuntiva mais intensa em volta da córnea (perilimbar), ausência de secreção epupila em miose. Estes achados sugerem o diagnóstico de:
Quais dos hipoglicemiantes orais são associados à piora do edema de mácula?
Um lactente com seis meses de idade é trazido a consulta médica em Unidade Básica de Saúde para avaliação de atraso do desenvolvimento. A mãe relata que compareceu a somente duas consultas de pré-natal e que a criança nasceu de parto vaginal e a termo, pesando 3.240 g, com Apgar 9/10. A alta se deu em dois dias. O sorriso social surgiu com um mês e sustentou o pescoço com dois meses. Entretanto, hoje não segura objetos, nem rola. Não consegue sentar com apoio. História familiar não revela casos semelhantes. Ao exame o lactente mostra-se em regular estado geral, interagindo pouco com o observador; corado, hidratado, anictérico e acianótico; ausência de estigmas cutâneos. Auscultas cardíaca e respiratória sem anormalidades. Exame neurológico evidencia perímetro cefálico acima do percentil 90 para a idade, aumento de tônus e de reflexos profundos nos quatro membros, associado com redução da força proximal. Coordenação preservada. Exame dos pares cranianos demonstra dificuldade em acompanhar os objetos apresentados. Fundo de olho evidencia cicatriz de coriorretinite bilateralmente. Tomografia computadorizada do crânio evidencia múltiplas calcificações difusamente distribuídas no parênquima, associadas a aumento do volume dos ventrículos laterais, terceiro e quarto ventrículos. O agente etiológico mais provável para o quadro clínico descrito é:
A presença do anel de Kayser-Fleischer ao exame clínico dos olhos é indicativo de:
Compartilhar