Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Um lactente de seis meses comparece na emergência pediátrica do hospital com história de febre alta há cerca de cinco dias, tosse produtiva, falta de ar e, nas últimas vinte e quatro horas, vômitos. Junto com o quadro, a mãe refere inapetência e prostração e, quando questionada, informa que amamentou até o segundo mês e que seu filho fez todas as vacinas para a idade. No exame físico, o paciente encontra-se choroso, em regular estado geral, com uma frequência respiratória de 58 movimentos respiratórios por minuto, tiragem intercostal, em retração subcostal e, na ausculta respiratória, apresenta múltiplos ruídos de transmissão. O restante do exame físico não apresenta outras alterações. A radiografia de tórax mostrou pequenos focos de consolidação na base pulmonar direita. Baseado nessas informações, qual a conduta inicial frente ao caso?

A
Orientar a mãe quanto à hidratação oral e ao uso de antitérmicos para o paciente no seu domicílio, reavaliando-o em vinte e quatro horas.
B
Iniciar com amoxacilina, orientar a mãe sobre o uso de antitérmicos no seu domicílio e reavaliar o paciente em vinte e quatro horas.
C
Iniciar com penicilina procaína, orientar a mãe sobre o uso de antitérmicos no seu domicílio e reavaliar o paciente em quarenta e oito horas.
D
Internar o paciente para tratamento com penicilina cristalina, oxigenoterapia e hidratação parenteral.
E
Internar o paciente para tratamento com cefurexime, oxigenoterapia e hidratação parenteral.
Quais são os critérios de Child-Turcotte modificados por Pugh para prognosticar a cirrose hepática?
Paciente de 62 anos, masculino, com insuficiência renal crônica terminal, ocasionada por nefropatia diabética, é internado por fratura de colo de fêmur. Apresenta os seguintes exames laboratoriais: cálcio sérico- 10,2 mg/dl; fósforo- 5,5 mg/dl e PTH (paratormônio) intacto de 22 pg/ml (valor de referência- 10-65 pg/ml). Durante a cirurgia, foi realizada uma biópsia óssea. O achado mais provável é de:
Com relação à asma, correlacione as colunas abaixo e assinale a alternativa CORRETA: I. Pico de fluxo expiratório (PFE) pré-broncodilatador entre 60 e 80% do previsto. II. Crises infrequentes, algumas requerendo curso de corticosteroide. III. Tratamento com beta-2 de curta duração, por via inalatória para alívio dos sintomas. IV. Tratamento com beta-2 de curta ação se necessário, corticosteroide inalatório, beta-2 de longa ação, antileucotrienos, xantinas e corticosteroide por via oral. V. Dispneia moderada com sibilos localizados ou difusos. VI. Pico de fluxo expiratório (PFE) menor que 30% previsto, Sat.O2 menor que 90%, PaCO2 maior que 45mmHg. ( ) Asma persistente leve. ( ) Asma persistente moderada. ( ) Asma intermitente. ( ) Crise de asma grave. ( ) Asma persistente grave. ( ) Crise de asma muito grave.
Das condições a seguir, qual apresenta risco mais baixo como predisponente para endocardite infecciosa?
Compartilhar