Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Um neonato sadio é observado no ambulatório por uma icterícia persistente que teve início aos 07 dias de vida. Peso ao nascimento 3200g, Capurro Somático de 40 semanas, parto sem complicações. Com 14 dias de vida ainda apresentava o mesmo peso do nascimento, apesar de ser amamentado ao seio materno e ao exame físico era ativo e vigoroso. A concentração de bilirrubina foi de 13,8 mg/dl, com 2,0 mg/dl de reação direta. A causa mais frequente de icterícia persistente neste caso é:

A
DHRN (Doença Hemolítica do Recém-Nascido).
B
Icterícia pelo leite materno.
C
Intolerância Hereditária à frutose.
D
Atresia das vias Biliares.
E
Septicemia.
Em RN de 5 dias, portador de Sindactilia em dedos de mão esquerda, quanto à patologia descrita, não é correto afirmar que:
Criança de 5 anos de idade queixa-se de dor no joelho direito há dois meses, sem história de trauma. Ao exame, apresenta-se em bom estado geral, afebril e com claudicação à direita. A semiologia dos joelhos não revela anormalidade. A avaliação subsidiária mais esclarecedora é:
Neuza, 42 anos, operada há um ano à colecistectomia videolaparoscópica, refere episódios de náuseas e dor em cólica em hipocôndrio direito. Refere colúria durante a última crise dolorosa há 1 semana. Exame físico: corada, anictérica, abdômen flácido, pouco doloroso à palpação em epigástrio e hipocôndrio direito. A ultrassonografia mostrou ausência de dilatação da via biliar. Qual o melhor exame a ser realizado em relação ao caso:
Jovem de 23 anos queixa-se de excesso de pelos em região facial, e, à ectoscopia, nota-se hirsutismo moderado. Dosagens hormonais revelam testosterona e 17-alfa-hidroxiprogesterona em níveis normais, porém o S-DHEA (sulfato de deidroepiandrosterona) estava bastante elevado. A principal hipótese diagnóstica é:
Compartilhar