Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Endocrinologia

Hematologia

Um paciente afrodescendente, 64 anos, queixa-se de dores ósseas, fadiga, astenia, soluços e emagrecimento. Ele traz, à consulta, resultados de exames complementares previamente feitos, que revelam: (a) anemia normocrômica e normocítica; (b) hipercalcemia acentuada (14,2 mEq/l); (c) hiperglobulinemia; (d) retenção de ureia e creatinina séricas; e (e) lesões líticas, sem halo de esclerose, na calota craniana, coluna vertebral, costelas e ilíacos. Acerca do caso mencionado, são feitas as seguintes assertivas, uma das quais é FALSA. Qual?

A
A imunoeletroforese de proteínas séricas mais comumente revela a presença de hiperglobulinemia monoclonal.
B
A expansão de plasmócitos encontrada na corrente sanguínea mais comumente secreta cadeias de IgM.
C
A dosagem sérica de ß2-microglobulina permite uma boa estimativa da carga tumoral da doença.
D
O aspirado de medula óssea representa excelente ferramenta diagnóstica, sendo a presença de mais de 10% de plasmócitos locais um importante parâmetro definidor.
E
Há pacientes que não possuem elevados níveis séricos de imunoglobulinas, tendo, porém detecção de cadeias leves de imunoglobulina na urina.
Menino de sete anos, com história de tosse e dispneia há sete dias, sem febre, apresenta: FR: 30 ipm, presença de tiragem intercostal, AP: MV diminuído em HTD. RX tórax indica presença de alargamento de mediastino, mais importante à direita. O provável diagnóstico, nesse caso, é:
Recém-nascido a termo, pequeno para idade gestacional, baixo peso, nasceu de parto cesárea, com apgar 5 e 8, peso de 1600g, HTº 65%, PCR negativo. Evoluiu com desconforto respiratório leve, porém persistente, com crises de cianose, hipoglicemia persistente e icterícia precoce, além de irregularidade na absorção das dietas. A hipótese diagnóstica para esse recém-nascido é:
Em relação aos distúrbios metabólicos no período neonatal, é correto afirmar:
Uma criança de quatro anos de idade, sexo masculino, é encaminhada ao ambulatório, pois a professora notou discreto desvio do olho direito há 30 dias. Nascido de parto prematuro, com 35 semanas, peso: 2.730 g, estatura: 46,5 cm, Apgar: 9/9, permaneceu por seis horas em CPAP nasal e 12 horas no capacete de oxigênio, devido a desconforto respiratório leve. Recebeu alta hospitalar com três dias. A mãe nega infecções durante a gravidez. Exame físico: estrabismo com esotropia à direita e reflexo pupilar esbranquiçado. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Compartilhar