Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

Um paciente apresenta um quadro de queda do estado geral e desconforto abdominal em andar superior. Refere febre diária e o exame físico permite a palpação de um hepatomegalia com defesa voluntária. A ultrassonografia abdominal revela uma lesão intra-hepática de lobo D com 5 cm de diâmetro com nível hidroaéreo. O hemograma mostra 23 mil leucócitos com granulações grosseiras de neutrófilos. A principal origem desta complicação piogênica é:

A
Sistema porta.
B
Arterial.
C
Contiguidade.
D
Colangiolítica.
Paciente de 54 anos realizou mamografia que evidenciou imagem nodular espiculada densa, que na USG é irregular, hipoecogênica, com diâmetro AP > T, com sombra. Fez core biopsia, cujo resultado foi “Alterações fibrocísticas da mama”. O radiologista colocou no laudo com “imagem altamente suspeita”. Qual o próximo passo propedêutico?
Mulher de 60 anos de idade está desanimada, apática e anorética. Refere inchação nas pernas e anemia. Há 15 dias vem tomando medicação para depressão sem melhoras. Fez uso de sulfato ferroso para anemia e também sem resultado. Faz uso de laxativo devido à constipação intestinal. Ao exame físico: pele fria, amarelada e ressecada, rarefação da metade distal das sobrancelhas, descorada ++/4+. Tireoide indolor e com aumento de volume. FC de 60 bpm, PA 150 X 100 mmHg e edema duro pré-tibial. Reflexos profundos diminuídos. Os exames laboratoriais mostram anemia normocítica e normocrômica, colesterol de 300 mg%. T4 livre de 0,4 ng/dl (0,7 - 1,8); TSH de 23,6 mcUI/ml (0,3 - 5) e anti-TPO de 800 UI/I. Em relação a hipótese diagnóstica mais provável, qual a informação está INCORRETA:
A busca ativa e investigação dos sintomáticos respiratórios é uma boa estratégia para se detectar precocemente os casos novos de tuberculose e iniciar o tratamento. Considera-se falência do tratamento:
O mecanismo elétrico mais comum da parada cardíaca é:
Compartilhar