Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Cardiologia

Cardiopediatria

Um paciente com 35 anos procura a emergência por palpitações. Constata-se no eletrocardiograma uma taquiarritmia com complexo estreito (FC = 160 bpm e PA = 140/80 mmHg). Qual o diagnóstico mais provável e qual é a conduta mais adequada?

A
Fibrilação atrial – Solicitar ecotransesofágico.
B
Taquicardia sinusal – Administrar tranquilizante.
C
Taquicardia ventricular – Administrar amiodarona.
D
Taquicardia supraventricular – Administrar adenosina IV.
E
Taquicardia ventricular – Cardioversão imediata.
Uma paciente de 34 anos relata cefaleia fronto-temporal unilateral, pulsátil, de forte intensidade, associada à náusea, fotofobia e osmofobia há 12 anos. As crises têm duração média de 48 horas e ocorrem de duas a quatro vezes por mês. Ansiedade e consumo de vinho desencadeiam as crises: o uso de analgésicos e anti-inflamatórios aliviam a dor. Nos períodos entre as crises, mantém-se assintomática. A paciente procurou atendimento de urgência por ter tido parestesia no dimídio esquerdo por cerca de 40 minutos, a qual foi seguida por cefaleia mais intensa do que o habitual, porém com as mesmas características acima descritas. O exame neurológico realizado a cerca de 2 horas após o início da cefaleia não revelou anormalidade. Quanto à parestesia relatada nesse caso, qual a etiologia mais provável?
Qual a combinação dos seguintes sinais caracteriza a síndrome de Prune-Belly?
O que faz proliferar o endométrio no ciclo menstrual?
Lactente de 18 meses, sem antecedentes alérgicos apresenta sintomas de resfriado comum por dois dias, com febre baixa, que evoluem subitamente para tosse ladrante e rouquidão. Ao ser levado para pronto-atendimento, observa-se estridor inspiratório à ausculta e hiperemia de orofaringe. Melhora rapidamente com uma nebulização contendo adrenalina e é liberado para casa, com prescrição de dexametasona via oral. O diagnóstico mais provável é o de:
Compartilhar