Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Um paciente com 58 anos, do sexo masculino e com história de insuficiência coronariana, chega à emergência com quadro de dor precordial, em repouso, há cerca de 15 minutos. Apresenta sudorese e PA de 190 X 120 mmHg. Qual o diagnóstico mais provável e qual a conduta mais adequada que deve ser tomada para esse paciente?

A
Urgência Hipertensiva associada à síndrome coronariana crônica. Tratar com Captopril + AAS + Isordil.
B
Urgência Hipertensiva associada à síndrome coronariana aguda. Tratar com Captopril + AAS + Isordil.
C
Emergência Hipertensiva associada à síndrome coronariana aguda. Tratar com Captopril + AAS + Isordil.
D
Urgência Hipertensiva associada à síndrome coronariana aguda. Tratar com MONA + Captopril.
E
Emergência Hipertensiva associada à síndrome coronariana aguda. Tratar com Morfina + Oxigênio + Nitroglicerina + Aspirina (MONA) + Metoprolol.
Em relação à litíase das vias biliares é correto afirmar que:
Paciente de 24 anos, sexo feminino, portadora de lúpus eritematoso sistêmico, é admitida na Unidade de Emergência queixando-se de dispneia de repouso. Ao exame físico, apresenta taquicardia, pulso filiforme, estase jugular +++/4, PA - 90/40 mmHg, bulhas cardíacas hipofonéticas e ausculta pulmonar com murmúrio vesicular globalmente diminuído discretamente. A principal hipótese diagnóstica é:
O principal meio diagnóstico para a Síndrome da Oclusão Arterial Aguda de membros inferiores é:
Mulher de 65 anos, portadora de insuficiência cardíaca, procura hospital por piora da dispneia há uma semana. Nega palpitação, dor torácica ou hemoptise. Exame físico: PA: 90x60 mmHg, pulso: 110 bpm (arrítmico) e frequência respiratória: 24 ipm; pulmonar: estertores em ambas as bases; abdome: fígado palpável a 3 cm do rebordo costal direito, doloroso; extremidades: edema de membros inferiores 2+/4+, com diminuição da perfusão periférica. ECG: fibrilação atrial. Ela faz uso de captopril e betabloqueador. Nesse momento recomenda-se:
Compartilhar