Questões na prática

Clínica Médica

Cirurgia

Hematologia

Nefrologia

Urologia

Cirurgia Geral

Um paciente de 75 anos, fumante, diabético tipo II com história de angioplastia coronária há 2 anos e usando clopidogrel, procurou um serviço médico com PSA 7.0 ng/ml. O toque retal apresentava uma próstata levemente aumentada de volume, sem nodulações. A biópsia evidenciou adenocarcinoma prostático, com escore de Gleason 3,3 = 6, comprometendo 25% de um fragmento de um total de 12 fragmentos. Levando em consideração os conhecimentos atuais, qual é a melhor conduta para o paciente?

A
Radioterapia externa.
B
Deprivação androgênica.
C
Prostatectomia radical suprapúbica.
D
Vigilância ativa.
E
Quimioterapia antineoplásica.
Lucas, 7 meses, não está mais sendo amamentado, pois sua mãe Nicole mudou-se para São Paulo, deixando o bebê sob os cuidados da avó. Lucas nasceu de parto normal, com 35 semanas de gestação, pesando 2.300 gramas. Vivem em casa própria (de material aproveitado) no Pirambu (bairro da periferia de Fortaleza), a avó, 2 filhas solteiras, Lucas e mais 3 crianças de 2, 3 e 5 anos. A renda mensal da família é de R$ 150,00 reais que uma das filhas recebe como “flanelinha”. Considerando a idade de Lucas e as condições familiares, qual o esquema alimentar mais eficaz para o adequado crescimento e desenvolvimento de Lucas:
Lucas, 7 meses, não está mais sendo amamentado, pois sua mãe Nicole mudou-se para São Paulo, deixando o bebê sob os cuidados da avó. Lucas nasceu de parto normal, com 35 semanas de gestação, pesando 2.300 gramas. Vivem em casa própria (de material aproveitado) no Pirambu (bairro da periferia de Fortaleza), a avó, 2 filhas solteiras, Lucas e mais 3 crianças de 2, 3 e 5 anos. A renda mensal da família são R$ 150,00 reais que uma das filhas recebe como “flanelinha”. O médico de família solicitou o Cartão de Vacinas de Lucas. Quais as vacinas que Lucas já deveria ter recebido, segundo orientações do Ministério da Saúde?
Flávia, 18 anos, solteira, vida sexual ativa desde os 15 anos; procurou seu médico de família com queixa de secreção vaginal tipo “clara de ovo”, sem odor, prurido e sem sintomas infecciosos; tendo aumentado de volume nos últimos 2 meses. Ao realizar o exame ginecológico, observou a mucosa vaginal sem alterações. Qual a principal hipótese diagnóstica e tratamento?
Paciente, 18 anos de idade, apresenta em avaliação médica de rotina TA: 160 x 110 mmHg. Tem história familiar de hipertensão arterial. Ritmo urinário sem alterações, com urina de aspecto normal. Ao exame, apresenta-se sem outras alterações à exceção de esmagamento nos cruzamentos arteriovenosos na retina e imagem em “chama de vela” na oftalmoscopia. Não há diferença pressórica entre os membros. A medicação que deve ser usada com cautela, nesse paciente, é:
Compartilhar