Questões na prática

Cirurgia

Dermatologia

Um paciente de 75 anos foi internado devido a um quadro de AVC isquêmico, apresentando afasia, hemiplegia à esquerda. Está apático e com a mobilidade muito limitada, no leito. Tem história de ser hipertenso sem tratamento e tabagista de longa data. Familiares negam que o paciente tenha outras comorbidades. Durante sua evolução na enfermaria, observou-se, após 48 horas de internação, a presença de uma úlcera de decúbito em região sacral, com necrose de tecido subcutâneo que se estende em direção à fáscia subjacente sem atravessá-la. Podemos afirmar que se trata de:

A
uma úlcera de decúbito estágio I.
B
uma úlcera de decúbito estágio II.
C
uma úlcera de decúbito estágio II A.
D
uma úlcera de decúbito estágio III.
E
uma úlcera de decúbito estágio IV.
Na prevenção da morte súbita cardíaca pós IAM em paciente com fração de ejeção < 40% você indicaria inicialmente:
Você recebe o telefonema de uma mãe cuja filha, de 3 anos de idade, frequenta creche onde ocorreu 1 (um) caso de escarlatina com um colega de sala. A mãe refere que a diretora orientou as mães a procurarem os pediatras de seus filhos. Sabe-se que a criança doente foi afastada e a creche permaneceu aberta. Qual a orientação que você recomenda para sua paciente?
De acordo com o Calendário Básico de Vacinação do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, assinale a alternativa que mostra que o número de doses que uma criança hígida com 9 meses de idade deve ter recebido das vacinas: Tretavalente, Rotavírus e Tríplice viral.
Beatriz, 12 anos, teve menarca há cerca de 1 ano, com ciclos regulares. Neste ciclo vem apresentando dor pélvica inespecífica. Ao ultrassom, apresenta imagem esférica em topografia anexial direita, bem delimitada e circunscrita, de ecogenicidade heterogênea, com aspecto floculado e áreas hiperrefringentes em seu interior. O mais provável é:
Compartilhar